PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Só este ano, TV paga já perdeu quase 1 mi de assinantes

Executivos da TV paga não sabem mais o que fazer pára estancar a fuga de assinantes - Getty Images
Executivos da TV paga não sabem mais o que fazer pára estancar a fuga de assinantes Imagem: Getty Images
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

31/07/2021 12h42

As estatísticas da base de assinantes da TV paga no Brasil cada vez mais se assemelha ao filme "Feitiço do Tempo" (de 1993. também conhecido como "O Dia da Marmota"; tem Bill Murray e Andie McDowell no elenco).

Há anos são sempre as mesmas (péssimas) notícias para o setor.

Junho não foi diferente, como mostra o levantamento da Anatel. Foram 125 mil assinantes a menos em junho.

Só nos primeiros seis meses de 2021 a TV paga brasileira já perdeu quase que 1 milhão de assinantes (960 mil para ser mais exato).

Para um país que no final de 2014 tinha praticamente 20 milhões de assinantes, e que tinha expectativas otimistas de chegar a 40 milhões de assinantes até 2017, está dando tudo errado. E pior: não há perspectiva alguma de mudança. Só se for para descer ainda mais a ladeira.

13,8 milhões

No momento, o Brasil tem 13,8 milhões de residências pagantes de TV, o que dá mais de 38 milhões de usuários legalizados.

Já o número de usuários de serviços piratas chega a 33 milhões, segundos dados da Mobile Time.

Em termos de audiência a TV paga também já ficou para trás em relação ao streaming. Como esta coluna informou com exclusividade no ano passado, os serviços de streaming já têm mais audiência que toda a TV paga somada.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops