PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

"Outro Lado do Paraíso" termina abaixo de "Avenida Brasil" no ibope em SP

Novela de Walcyr Carrasco foi muito bem em audiência, mas não venceu "Avenida Brasil" - Reprodução/Globo/Montagem UOL
Novela de Walcyr Carrasco foi muito bem em audiência, mas não venceu "Avenida Brasil" Imagem: Reprodução/Globo/Montagem UOL
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/05/2018 19h11

“O Outro Lado do Paraíso”, de Walcyr Carrasco, termina  hoje com praticamente zero de chance de vencer o tabu da audiência de "Avenida Brasil", de 2012 --ainda o último maior ibope em pontos de uma novela das 21h30 em São Paulo (principal mercado da publicidade da TV).

Na comparação até o penúltimo capítulo de cada trama, "Outro Lado" registra 38,5 pontos, contra 38,8 de "Avenida Brasil" (e 39,2 de "Fina Estampa").

Por essa comparação, a chance de o último capítulo ter um índice capaz de fazer "Outro Lado" dobrar "Avenida" seria um real milagre.

E, vá lá, mesmo se ocorresse o maior de todos os milagres, isso não mudaria outro importante quesito da audiência: o chamado share.

Porque “O Outro Lado do Paraíso” perde feio em share --a participação de um programa no universo de TVs ligadas-- para suas antecessoras.

Share em outras palavras significa: na hora da novela, do total de TVs ligadas em SP, que porcentagem a estava sintonizando.

Pois bem, o share “O Outro Lado” até o penúltimo capítulo (54,0%) não chegará nem perto do share de “Avenida Brasil” até o penúltimo episódio (62,4%), e nem do de “Fina Estampa” (62,2%).

Lembrando que "Fina Estampa", essa grande obra de Aguinaldo Silva, foi bem no ibope praticamente desde o início.

Já "Avenida Brasil", de João Emanuel Carneiro, demorou um bocadinho a embalar, mas não tanto quanto "O Outro Lado".

No caso dessa, a "decolagem" só ocorreu em 12 de dezembro, com a volta de Clara (Bianca Bin), quando deu pela primeira vez 42 pontos de ibope em SP.

De qualquer forma, a trama de Walcyr Carrasco entra para a história como uma produção que foi tão bem que conseguiu elevar a audiência da Globo em todo o horário nobre.

Além, é claro, da enorme repercussão junto ao público, na internet e na imprensa de forma geral.

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL