PUBLICIDADE
Topo

Vuitton apresenta a mais recente coleção de Virgil Abloh em Paris

20/01/2022 15h01

Paris, 20 Jan 2022 (AFP) - A empresa de luxo francesa Louis Vuitton desfila nesta quinta-feira(20) em homenagem a Virgil Abloh, diretor artístico de sua linha masculina, que morreu em novembro, aos 41 anos, quando finalizava sua coleção.

A Semana de Moda Masculina segue em Paris com novas promessas, como a britânica Bianca Saunders, que estreou com uma coleção que remete ao século 20, e a francesa Y/Project, que ignorou convenções e desfilou com homens e mulheres.

Para o Y/Project, os homens usarão ternos enormes e grandes no outono, protegendo seus rostos com suéteres de gola extra longa, enquanto as mulheres usarão camisetas ajustadas, estampadas para imitar seus corpos.

- Tênis Nike -Após o desfile de homenagem em 30 de novembro em Miami, dois dias após a morte do estilista americano em decorrência de um câncer, a Vuitton realizará dois desfiles de moda em Paris.

A marca francesa respondeu à enorme expectativa com duas passarelas, também devido às regras anticovid, que obrigam a reduzir a capacidade.

"Vai ser muito emocionante", disse à AFP Kim Jones, que foi designer da Louis Vuitton até 2018, quando Abloh o substituiu.

"(Virgil e eu) viajamos pelo mundo juntos. Me sinto muito sortudo por tê-lo conhecido", disse ele.

"Ele planejou tudo cuidadosamente até o último minuto", confidenciou.

A coleção que vai desfilar nesta quinta-feira estava "95% pronta" antes da morte de Virgil Abloh, disse Michael Burke, presidente da Louis Vuitton, em entrevista ao WWD, meio de comunicação americano especializado em moda.

A Louis Vuitton, que pertence ao grupo LVMH, ainda não revelou o nome do sucessor de Abloh. Após a morte deste criador, apenas um outro designer negro permanece no horizonte da moda, Olivier Rousteing, da Balmain.

A escolha de Virgin Abloh foi "ousada", e a escolha de seu sucessor "exigirá também audácia", explicou Serge Carreira, professor de ciência política em Paris.

Abloh fascinou as gerações mais jovens de criadores do mundo da música e da arte, sobretudo nos Estados Unidos, como atesta a homenagem que recebeu em Miami, com a presença de Rihanna, Kanye West, Kim Kardashian, Bella Hadid e Pharrell Williams.

Abloh não hesitou em colaborar com a Nike e outras marcas esportivas para quebrar barreiras.

"Virgil mostrou como você pode ser multidisciplinar e destemido. Ele era realmente poderoso. Ele teve um impacto na vida de tantas pessoas", disse à AFP Bianca Saunders, uma estilista londrina com raízes afro-caribenhas.

Entre os potenciais candidatos negros para substituir Abloh estão seus colaboradores Samuel Ross e Heron Preston, o diretor artístico da Reebok, Kerby Jean-Raymond, a estilista britânica Grace Wales Bonner e ainda o rapper e designer Kanye West, amigo de Abloh.

Também são mencionados Kris van Assche, que deixou a Berluti, e Daniel Lee, que não trabalha mais na Bottega Veneta, além de Riccardo Tisci (Burberry, ex-Givenchy).

"Virgil Abloh encarnou a diversidade, foi uma figura na promoção do talento entre os estilistas negros. É uma questão simbólica, mas a questão afeta a indústria da moda globalmente", explica Serge Carreira.

A Louis Vuitton fez uma parceria com a casa de leilões Sotheby's para colocar 200 pares do tênis Nike "Air Force 1" projetados por Virgil Abloh à venda para caridade.

O preço inicial é de 2 mil dólares.

Os lucros irão para a sua fundação "Post-Modern", que apoia a formação de designers de origem afro-americana e africana.

neo-jz/elc/rhl/an/mb/jc