PUBLICIDADE
Topo

Paulo Coelho critica Piquet após racismo contra Hamilton: 'Desesperado'

Paulo Coelho pediu desculpas a Lewis Hamilton e condenou racismo de Nelson Piquet - Matej Divizna/Getty Images
Paulo Coelho pediu desculpas a Lewis Hamilton e condenou racismo de Nelson Piquet Imagem: Matej Divizna/Getty Images

Colaboração para Splash, em Maceió

28/06/2022 14h54

O escritor Paulo Coelho pediu desculpas em nome dos brasileiros ao piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton, após o atleta ser vítima de um comentário racista feito pelo ex-piloto Nelson Piquet.

Por meio de seu perfil no Twitter, Coelho se referiu a Piquet como "piloto do pior presidente" da história do Brasil, em alusão a Jair Bolsonaro (PL), e afirmou que o racismo do ex-piloto foi um ato de "desespero para voltar aos holofotes".

"Caro Lewis Hamilton, Piquet é atualmente o piloto do pior presidente da nossa história. Seus comentários racistas demonstram a necessidade desesperada [dele] de voltar aos holofotes. Peço desculpas em nome do povo brasileiro que te respeita e te ama", escreveu.

Entenda

Em vídeo de entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira, em novembro de 2021, Piquet chama Hamilton de "neguinho" ao comparar os acidentes envolvendo Ayrton Senna e Alain Prost, em 1990, na largada do GP do Japão, e o que ocorreu 31 anos depois, no GP da Inglaterra. O trecho da entrevista foi publicado pelo canal Enerto, especializado em automobilismo, e repercutiu nas redes, com críticas ao tricampeão, que teve a fala apontada como racista (veja abaixo). O termo quando usado de maneira pejorativa ou com a intenção de ofender é considerado racista.

"O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro [Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem", afirmou o tricampeão mundial.

Após a repercussão da declaração nas redes sociais, Lewis Hamilton se manifestou. Em seu perfil no Twitter, o piloto escreveu em português que é preciso "mudar [esse tipo] de mentalidade" racista.

"É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação", acrescentou o inglês.

A Fórmula 1, a Fia e Mercedes também condenaram a fala racista de Nelson Piquet.