PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton responde em português fala racista de Nelson Piquet

Do UOL, em São Paulo

28/06/2022 08h44

O heptacampeão da Fórmula 1 Lewis Hamilton se pronunciou em português nas redes sociais para rebater a fala racista usada pelo ex-piloto Nelson Piquet para se referir a ele.

"Vamos focar em mudar a mentalidade", postou Hamilton no Twitter.

O piloto inglês continuou sua resposta e disse que a mentalidade de Piquet é arcaica.

"É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação", acrescentou o piloto inglês.

Antes disso, Hamilton repercutiu o tweet de um fã que diz: "E se Lewis Hamilton apenas tweetar: 'Quem diabos é Nelson Piquet' e então fechar o Twitter".

O que Nelson Piquet disse?

Em vídeo de entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira, em novembro de 2021, Piquet chama Hamilton de "neguinho" ao comparar os acidentes envolvendo Ayrton Senna e Alain Prost, em 1990, na largada do GP do Japão, e o que ocorreu 31 anos depois, no GP da Inglaterra. O trecho da entrevista foi publicado pelo canal Enerto, especializado em automobilismo, e repercutiu nas redes, com críticas ao tricampeão, que teve a fala apontada como racista (veja abaixo). O termo quando usado de maneira pejorativa ou com a intenção de ofender é considerado racista.

"O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro [Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem", afirmou o tricampeão mundial.

No ano passado, Hamilton e Verstappen travaram uma disputa ponto a ponto pela liderança do Mundial. Em Silverstone, Hamilton tocou o pneu no carro de Verstappen que rodou e bateu na barreira de proteção, provocando a interrupção da prova por mais de 40 minutos. A corrida foi reiniciada, e Hamilton recebeu 10 segundos de punição. Apesar disso, o britânico venceu a prova, com Charles Leclerc em segundo. O piloto da Red Bull, que conquistou o Mundial.

A repercussão

Mais cedo a Fórmula 1, a FIA e a Mercedes condenaram a fala de Nelson Piquet nas redes sociais. Todas as instituições se mostraram muito incomodadas com a aspa do brasileiro.

"A FIA condena veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no esporte ou na sociedade em geral. Expressamos nossa solidariedade com Lewis Hamilton e apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no esporte a motor", disse a entidade.

"Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não deve fazer parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito", diz o comunicado da F1. Seus esforços incansáveis e e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o que estamos comprometidos na F1", reforça o comunicado da F1.

"Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diversificado e inclusivo, e este episódio destaca a importância fundamental de continuar lutando por um futuro melhor", escreveu a Mercedes — exaltando os feitos de Hamilton contra o racismo no esporte.

Fórmula 1