PUBLICIDADE
Topo

De manicure a empresária: quem foi a miss morta após cirurgia de amigdalite

Gleycy Correia morreu aos 27 anos após complicações em cirurgia - Lucas Zimbeba/Instagram @gleicycorreia
Gleycy Correia morreu aos 27 anos após complicações em cirurgia Imagem: Lucas Zimbeba/Instagram @gleicycorreia

De Splash, em São Paulo

21/06/2022 04h00

Gleycy Correia, empresária e semifinalista do Miss Brasil Mundo 2018, morreu ontem em Macaé (RJ) pouco mais de dois meses após complicações de uma cirurgia de amigdalite, aos 27 anos.

A informação foi divulgada por Jak Abreu, pastor da igreja que a miss frequentava, e confirmada por Splash.

"Vítima de complicações de uma cirurgia, após algumas semanas em coma, faleceu hoje a Miss Costa do Sol CNB 2018 e Miss Continentes Unidos 2018, Gleycy Correia", informou o CNB (Concurso Nacional de Beleza) em nota.

'Família de batalhadores'

Além de miss, Gleycy Correia também foi empreendedora nas áreas de beleza e procedimentos estéticos. Ela costumava compartilhar encontros e congressos em que esteve presente para acompanhar discussões e fazer cursos sobre os temas.

Em seu perfil no Instagram, que conta com mais de 50 mil seguidores, Gleycy afirma ser especialista em "maquiagem permanente", processo de pigmentação da pele que mantém os traços escolhidos de forma permanente.

Gleycy passou a ganhar destaque nacional em 2018, quando recebeu a faixa para representar a região de Macaé no Miss Costa do Sol CNB. Ela também conquistou a faixa de Miss Brasil ao se tornar semifinalista do Miss Brasil Mundo durante o mesmo ano.

Em relato compartilhado no Instagram em 2016, a miss conta que seu primeiro trabalho foi como manicure ainda aos oito anos.

"Sempre amei trabalhar, ter o meu dinheirinho. Sonhei com a minha independência. Era uma felicidade gigantesca a cada cliente conquistada", afirmou no texto.

A modelo também destacou a origem humilde e reforçou que os pais sempre enfrentaram as dificuldades para sustentá-la.

"Família de batalhadores, e mesmo com milhões de defeitos, nessa família existe muito amor! Sempre fizeram o possível e impossível por mim, sou muito grata de verdade".

"Gleycy será sempre lembrada por sua beleza iluminada, alegria, e empatia demonstrada no seu projeto social, tendo restaurado a autoestima de tantas mulheres que enfrentaram o câncer de mama, redesenhando a aréola da mama gratuitamente", destacou o CNB (Concurso Nacional de Beleza) ao se despedir da empresária.

A morte da miss

Lidiane Alves Oliveira, pastora da Igreja Arca que Gleycy frequentava, deu detalhes sobre os últimos meses em que a miss ficou internada em conversa com Splash.

"Ela estava na Unimed Costa do Sol [em Macaé]. Fez uma cirurgia para retirada das amígdalas e depois de cinco dias em casa, teve uma hemorragia. Foi para a Unimed e teve uma parada cardíaca dia 04/04 e desde então estava em coma, sem atividade neurológica", relatou.

"Ontem fomos informados que os rins não funcionavam há três dias. Ela estava bem inchada. E teve piora do quadro clínico", explicou a pastora.