PUBLICIDADE
Topo

Coelhinhas da Playboy criticam fundador e horrores da mansão

Katie Price e Hugh Hefner. - Reprodução/Instagram - Wikimedia Commons.
Katie Price e Hugh Hefner. Imagem: Reprodução/Instagram - Wikimedia Commons.

Colaboração para Splash, de São Paulo

24/01/2022 10h39Atualizada em 24/01/2022 10h39

Cada dia que passa, outro escândalo da mansão da Playboy vem à tona. Em entrevista ao The Post, a ex-coelhinha Sondra Theodore (65) revelou que Hugh Hefner - fundador da revista - era um "predador". Mais do que isso, confessou que viu garotas chegarem à mansão bem e saírem dela extremamente cansadas e abatidas.

Na série documental "Secrets of Playboy", esse e outros depoimentos endossam as obscuridades por trás da Playboy. Enquanto Hefner vendia uma ideia de liberdade sexual, mulheres viam um outro lado da situação quando chegavam ao local.

Conforme o seriado de 10 episódios do canal A&E, o magnata era reverenciado como uma espécie de "garanhão divino". Contudo, Hefner se aproveitava de "mulheres vulneráveis" para construir seu império sexual.

Os escândalos tornam-se cada vez maiores com mais relatos de ex-coelhinhas. Dentre as confissões mais chocantes, houve a revelação de relação sexual com menores de idade e de que a mansão era um "culto" - Holly Madison inclusive comentou que Hefner se negava a usar proteção durante as relações.

Os horrores da mansão da Playboy têm sido expostos com a série documental e, de herói, Hugh Hefner passou a ser visto como um monstro. "Secrets of Playboy" estreou hoje no A&E e promete desvelar outros mistérios por trás do local.