PUBLICIDADE
Topo

Apresentador é agredido na porta de TV e aparece no ar com rosto machucado

Jornalista é agredido na porta de prédio de emissora - Reprodução/AdessoTV
Jornalista é agredido na porta de prédio de emissora
Imagem: Reprodução/AdessoTV

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

17/01/2022 18h02

O jornalista e apresentador Daniel Carniel, que também é dono da Adesso TV, um canal de TV por assinatura no Rio Grande do Sul, foi agredido com chutes e socos por um homem não identificado ao chegar ao prédio da emissora em Garibaldi (RS), na última sexta-feira (14). O profissional suspeita de motivação política. Ele sofreu ferimentos no queixo, na boca e na costela e teve luxações em dois dentes.

Ao UOL, por telefone, Carniel confirmou o episódio —classificado por ele como "atentado"—, ocorrido cerca de dez minutos antes de iniciar a apresentação de seu programa, o "Prato Limpo", uma atração jornalística com formato similar ao "Balanço Geral", da Record. (Assista ao vídeo abaixo)

Eu estava chegando para trabalhar, estacionei o carro e atravessei a rua, quando vi dois homens sentados [perto da porta do prédio da TV], o que é normal ter gente sentada ali. No momento em que estava atravessando, um dos rapazes foi embora e o outro ficou. Quando passei, ele perguntou: 'você é o Daniel?'. Eu falei que 'sim'. Ele me empurrou para o hall do edifício e me deu um soco. Fiquei zonzo. Ele me deu uma rasteira e caí no chão. Daniel Carniel, ainda se recuperando dos ferimentos e com dificuldades na fala

Após a agressão, flagrada por câmeras de vigilância, Carniel subiu para o estúdio e, mesmo ensanguentado, entrou no ar e relatou para o seu público o que acabara de lhe ocorrer.

"Por que eu fiz isso? Sensacionalismo? Não, porque com o ambiente [político] que está na cidade, eles iam dizer 'ah, esse programa forjou uma agressão...'. Daí eu fui para o ar para mostrar 'não, gente, eu apanhei mesmo'. Isso não pode acontecer", afirmou ele.

O jornalista fez o boletim de ocorrência na Brigada Militar e amanhã deve realizar o exame de corpo de delito, solicitado, segundo ele, pelo delegado que investiga o caso.

"O delegado... ele também acredita que seja motivação política, mas claro que ele vai investigar. Ele também suspeita que [o agressor] seja de fora. Há muitas imagens, e claras. Então a gente acha que logo vão encontrar [o suspeito]", contou o apresentador, que mudou a sua rotina e passou a andar com segurança particular após o incidente.

Em nota, a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) repudiou a agressão a Daniel Carniel e cobrou "uma investigação rápida da polícia para que os agressores sejam punidos".

É mais um ataque à liberdade de imprensa, numa escalada da violência física e moral contra os jornalistas brasileiros. Casos como o de Garibaldi não podem ficar impunes sob pena de incentivar esses tipos de agressão. Abraji, em comunicado