PUBLICIDADE
Topo

Viola Davis e mais lamentam morte de Poitier: 'Mostrou que nós importamos'

De Splash, em São Paulo

07/01/2022 13h34Atualizada em 07/01/2022 15h13

Viola Davis, Octavia Spencer, Camila Pitanga e mais atores lamentaram a morte de Sidney Poitier, 94, primeiro homem negro a ganhar o Oscar de melhor ator. A notícia foi confirmada pelo ministro das Relações Exteriores das Bahamas, Fred Mitchell.

O legado de Poitier é exaltado e coloca o foco sobre a questão racial nos 94 anos de Oscar: após ele em 1964, Denzel Washington e se tornou o segundo homem negro a levar o Oscar de melhor ator com o filme "Dia de Treinamento". O ano era 2001.

Na categoria de melhor atriz, a última mulher negra a vencer nesta categoria foi em 2002 com Halley Berry. Enquanto Viola é recordista de indicações com quatro, Meryl Streep, que é branca, já recebeu 21 indicações na mesma categoria.

Atriz negra mais indicada ao Oscar e vencedora como coadjuvante em 2017, Viola destacou o legado e a importância de Poitier na luta antirracista e por direitos civis através das obras no cinema.

Nenhuma palavra pode descrever como seu trabalho mudou radicalmente minha vida. A dignidade, normalidade, força, excelência e energia pura que você trouxe para seus papéis nos mostraram que nós, como negros, importamos! Viola Davis

"Foi uma honra para mim e meu marido compartilharmos o almoço com vocês em Spagos. Você nos disse: 'Se seus sonhos não te assustam, eles não são grandes o suficiente' ! Eu coloquei esta citação na parede da minha filha. Descanse bem, senhor Poitier. Obrigada! Obrigado por deixar um legado.", escreveu a atriz.

Melhor atriz coadjuvante em 2012, Octavia Spencer lembrou da primeira vez que viu SIdney Poitier em um evento, ao ser premiada.

Ele me disse que esperava grandes coisas de mim. Há algo sobre ouvir essas palavras de um pioneiro que muda você! Obrigado, senhor Poitier !! Eu tenho andado alto desde então! Octavia Spencer

Whoopi Goldberg, melhor atriz coadjuvante em 1990, citou a música-tema de "Ao Mestre, com Carinho", filme estrelado por Poitier: "Se você quisesse o céu, eu escreveria em letras gigantescas a mil metros de altura".

"Ele nos mostrou como alcançar as estrelas", disse.

No Brasil, Camila Pitanga postou uma foto do pai, Antônio Pitanga, ao lado de um retrato do ator de "Adivinha quem vem para o jantar", "No Calor da Noite" e "Uma voz nas sombras".

Ao desejar paz, ela trocou a palavra "peace" (paz) por "power" (poder), frase utilizada por figuras negras para exaltar a importância de alguém na resistência, luta e fortalecimento da comunidade negra.

Hoje, Sidney nos deixa, aos 94 anos. Uma grande perda de um grande artista, de uma elegância incrível. Eterna referência. Rest in power. Camila Pitanga

A atriz norte-americana Ellen Barkin compartilhou um discurso do ator em 1968 ao criticar o tratamento da imprensa a ele como homem negro. — os repórteres insistiam em limitá-lo a comentar assuntos raciais, como se, por ser negro, ele não pudesse falar de outro assunto a não ser o racismo.

"Sidney Poitier? Agora mais do que nunca. Descanse no poder", escreveu ela.

Tyler Perry

"Tudo que posso dizer é que meu coração se partiu em outro lugar. A graça e a classe que este homem demonstrou ao longo de toda a sua vida, o exemplo que me deu, não só como negro mas como ser humano, nunca será esquecido. Não há homem neste negócio que tenha sido mais uma estrela para mim do que Sidney Poitier".