PUBLICIDADE
Topo

Filha de Leila Diniz relembra a morte da mãe ao falar de Marília Mendonça

Janaina Diniz, filha de Leila Diniz - Reprodução/ Instagram
Janaina Diniz, filha de Leila Diniz Imagem: Reprodução/ Instagram

De Splash, em São Paulo

05/12/2021 16h24

Janaina Diniz, filha de Leila Diniz, comentou sobre o processo de luto vivido por filhos pequenos de pais famosos que morrem e relembrou sua própria história em recente entrevista concedida ao jornal "O Globo".

Na conversa, a atriz falou sobre os cuidados que serão precisos para tratar os filhos de Paulo Gustavo, que morreu este ano em decorrência da covid-19, e de Marília Mendonça, que, assim como Leila, morreu em um desastre aéreo.

Ela disse já saber o que acontecerá na vida deles, e contou ter vontade de conversar com as as pessoas que cuidam de Gael e Romeu, filhos de 2 anos de Paulo Gustavo, e Leo, filho de Marília Mendonça de 1 ano. Janaina tinha sete meses quando a mãe morreu em um acidente de avião na Índia.

"Vi em flashforward a vida dos filhos que eles deixaram", contou ao jornal. " Tenho vontade de ligar para os adultos em volta dessas crianças e falar o que não devem fazer."

Para ela, a tentativa sanar a falta dos pais só piora o quadro das crianças.

A necessidade de suprir a presença de quem se foi só sublinha essa ausência. A pessoa pública que chegará nessas crianças é bem diferente dos pais que teriam.

A atriz brincou sobre fazer um "guia" para explicar aos responsáveis sobre o como lidar com a morte de pais famosos. "As pessoas fazem muito movimento para suprir a ausência e criam uma substituição quando a pessoa tem esse impacto para sociedade."

Não me exigiram que eu substituísse minha mãe como figura pública, mas você ocupa um espaço no afeto dos outros maior do que o seu tamanho ali, como criança. Isso é a intenção de suprir essa ausência, mas o que isso faz é grifar para você: olha a ausência.

Na mesma entrevista, Janaina revelou detalhes do filme e da série que está desenvolvendo sobre Leila Diniz: o longa chamará "Despedaços" e parte do olhar de uma filha que busca a mãe que não teve; já a série, intitulada "Toda mulher é meio Leila Diniz" será uma espécie de "autobiografia póstuma".