PUBLICIDADE
Topo

Halyna Hutchins sofria assédio de 'predadores de Hollywood', diz amigo

A cineasta Halyna Hutchins - Reprodução/Instagram
A cineasta Halyna Hutchins Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para Splash, em São Paulo

24/10/2021 12h50

Halyna Hutchins, diretora de fotografia morta com tiro disparado acidentalmente pelo ator Alec Baldwin no set de filmagem de "Rust", enfrentou diversas barreiras e casos de assédio na indústria cinematográfica, segundo o ator e produtor Stephen Wozniak, em entrevista ao The Sun. Ela era uma apoiadora do movimento #MeToo, que luta contra a violência de gênero.

Wozniak, que diz ser amigo de Halyna, conta: "Ela não era contratada em alguns projetos simplesmente porque era mulher. Ela também teve algumas interações ruins com 'predadores'. Uma em particular foi no set de um filme e foi ruim o suficiente para ela cogitar remover seu nome dos créditos".

"Ela não revelou quem era homem, mas disse que ele a assediou no set, no final das filmagens. Ela ficou realmente abalada, mas Halyna era uma pessoa incrivelmente forte".

"Ela cresceu em uma base miliar soviética, e isso era muito surreal e um pouco assustador para ela. Ela disse que sentia a grande opressão e o perigo de viver lá, mas isso a tornou uma mulher forte", lembrou Wozniak. "Eu acho que o sexismo que ela encontrou na indústria a afetou tanto quanto a terrível opressão do seu país natal".

O ator e produtor garante que Halyna era engajada na causa #MeToo. "Acho que não era uma ativista formal, mas eu sei que definitivamente era uma apoiadora do movimento".