PUBLICIDADE
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Porta motivacional: o segredo para vencer o medo é entendê-lo

Prefeito abraça Zé Gotinha após tomar vacina - Reprodução
Prefeito abraça Zé Gotinha após tomar vacina Imagem: Reprodução

Redação Porta dos Fundos

10/08/2021 10h45

Como dizia meu avô, quem tem, tem medo! Mentira, meu avô não dizia isso. Mas eu gosto de falar isso antes das frases para dar um peso maior para a minha fala. O fato é que todo mundo sente medo de alguma coisa. Poucos sabem, mas Einstein tinha medo de pássaros. Joana D'Arc tinha trauma de insetos peçonhentos. Alexandre Frota não conseguia chegar perto de aranhas. E, mesmo assim, todos se tornaram grandes vencedores!

Qual o segredo dessas histórias de superação? Cocaína. Mentira. Talvez um pouco? Não importa. O segredo é entender o seu medo e saber lidar com ele. Não sou Augusto Cury, mas resolvi classificar os medos em categorias para ajudar o leitor a se entender melhor.

Uns têm medo de chegar em casa e encontrar sua esposa, seu vizinho Pedro, três cachorros e a síndica em uma noite selvagem de amor. Outros têm medo de não conseguir dar conta do trabalho e acabar sendo demitido, que é o que eu chamo de medo autossabotador, que te impede de desempenhar alguma função plenamente. Como no caso desse prefeito aqui:

A dica para o medo autossabotador é se antecipar ao problema. Experimente um dia, por exemplo, cagar na gaveta do seu chefe —garanto que ninguém no escritório vai pensar que você foi demitido por incapacidade.

Alguns têm o chamado "respeito". Eu, por exemplo, respeito muito as baratas. São insetos legais e maravilhosos! Respeito demais as baratas e o Jorginho, agiota para quem eu estou devendo 200 pratas. Não que exista nenhuma semelhança entre o inseto e o agiota, por favor! Para vencer o medo respeitoso é simples: basta parar de respeitá-lo. Jorginho, vá se ferrar, seu agiota otário! Veja só leitor, já me sinto mais leve, como se um peso tivesse caído das minhas costas? Bem perto do meu pé.

Droga, foi uma pedra que jogaram pela janela do quarto. Esquece isso, Jorginho, tamo junto!

Nessa mesma linha, há quem sinta o "nervoso", que nunca entendi direito. Não chega a ser um medo, mas existem pessoas que têm nervoso de sangue, por exemplo. Meu tio é um. Não pode ver alguém sangrando que dá dois tapas numa idosa e chuta um cachorro na rua, o que além de ser errado, atrapalha bastante o trabalho dele como enfermeiro. Para fugir do medo nervoso, basta calmante, respiração equilibrada, pensamentos positivos e evitar cruzar com o meu tio.

Tem também o medo de não conseguir ser alguém na vida. Que é um medo bastante razoável, já que estatisticamente vai se tornar realidade em 90% dos casos (98% para ex-BBBs e recém formados em agronomia). A solução para esse medo é simples: Seja alguém na vida! Já ouviram falar de marketing multinível? Na próxima coluna explicarei como ficar rico em uma semana.

Qual a mensagem final desse texto? Não importa seu medo, todo mundo vai se ferrar no final. Entender onde seu calo aperta garante que você fracassará do mesmo jeito, mas pelo menos você pode dizer da boca para fora que aceita isso numa boa. E, para manter esse clima gostoso, finalizo citando Chorão e Vanessa da Mata: "O medo cega os nossos sonhos, menina bonita eu quero morar na sua rua". "Eu tenho medo do escuro, tenho medo do inseguro, dos fantasmas da minha vó."

*

Matheus Mad é roteirista do Porta dos Fundos e comediante. No Instagram: @omatheusmad

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL