PUBLICIDADE
Topo

AVC, Alzheimer e pandemia. Alexandre Borges pausou carreira pela mãe

Alexandre Borges divide o tempo entre Santos e São Paulo, cuidando da mãe
Alexandre Borges divide o tempo entre Santos e São Paulo, cuidando da mãe
Eny Miranda

Daniel Palomares

De Splash, em São Paulo

09/07/2021 04h00

Quando a pandemia teve início no ano passado, ninguém imaginava quão intensas seriam as transformações nas nossas vidas dali para frente. Para Alexandre Borges, porém, as mudanças vieram ainda mais cedo.

Desde 2019, o ator se dedica aos cuidados da mãe, Rosa, que venceu um AVC e sofre de Alzheimer. Passando boa parte do tempo em Santos, cidade onde nasceu, Alexandre modificou sua rotina e ressignificou sua história.

Em papo tocante com Splash, ele celebra o novo momento, mesmo diante dos problemas.

Continua depois da publicidade
tyjhtyyt - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Alexandre Borges mudou de vida na pandemia ao assumir os cuidados da mãe
Imagem: Arquivo pessoal

Largou tudo?

Quando a pandemia começou, a classe dos atores foi paralisada. As gravações foram suspensas e os teatros fechados. Alexandre, então, repensou suas prioridades naquele momento.

Não senti falta de atuar, isso vem em segundo plano. O importante era ter responsabilidade de se preservar para não se contaminar. Em termos profissionais, eu com quase 40 anos de carreira, não senti tanto. Nem financeiramente. Mas e quem estava começando? Esse foi o ponto mais delicado e mais duro.

Alexandre seguiu fazendo lives na internet, buscando doações para quem mais precisava, incluindo trabalhadores da classe cultural. Mas a vida em São Paulo e a carreira podiam esperar: era sua mãe que mais precisava dele.

A vida real se mostrou assim pra mim: sua mãe está doente, está com Alzheimer, teve um AVC. Ela sempre foi independente. Eu sou filho único. Tudo isso me levou a ficar em Santos com ela.

Continua depois da publicidade
rthrth - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Dona Rosa, mãe de Alexandre Borges, na juventude
Imagem: Arquivo pessoal

De volta no tempo

Alexandre cumpriu boa parte de sua quarentena no ano passado, vivendo ao lado da mãe, em Santos, no litoral paulista. Ele cozinhava, ia ao mercado, farmácia, a levava ao médico, acompanhou sua internação no hospital e não se esquecia de levá-la para tomar um solzinho no calçadão.

A prioridade foi e é minha mãe. Parece que estou fazendo algo extraordinário, mas é normal. Algo que deve ser feito. Eu tinha que estar lá, eu amo minha mãe, ela é tudo para mim. Não vou abandoná-la. Muita gente tem a mãe em outra cidade e não teve tempo de se organizar. Eu imagino a angústia.

O ator se lembra dos momentos ouvindo música e cantando com a mãe. Dona Rosa também adora ver crianças ou cachorros brincando e relembra sua infância e seus pais. Todas as atividades ajudam a reduzir o impacto do Alzheimer e, para Alexandre, foram um alento.

Eu sofri, lógico, mas você vai vendo a beleza disso, de passar um ano com ela. Minha vida mudou, voltei a morar em Santos onde nasci, passava por lugares que ela me levava... Hoje, eu amparo ela. Passa um filme na cabeça. Hoje, olho para trás e parecia um beco sem saída, mas a vida me deu uma luz.

Continua depois da publicidade
rtgbhrtrt - Eny Miranda - Eny Miranda
Alexandre Borges está focado na direção de espetáculos em 2021
Imagem: Eny Miranda

Retomada

Então, quando este ano começou, Alexandre conseguiu se reestruturar profissionalmente. Ele ainda divide o tempo entre São Paulo e Santos, mas também visita o filho, Miguel, no Rio. Sua mãe agora conta com a ajuda de um cuidador, Fábio, chamado carinhosamente de Domenico, o "irmão perdido".

Quando o ano virou, realmente quis cuidar do meu outro lado, sou pai. Vi a possibilidade de reabertura dos teatros. Acho que a arte serve como linha de frente. As pessoas abriram mão de muitas coisas, da própria vida. Foram momentos muito difíceis para todo mundo. Precisamos alegrar nossos corações.

Falando no filhão, Miguel, fruto do relacionamento de Alexandre com Júlia Lemmertz, já está com 21 anos, cursa a faculdade de jornalismo e se lançou como rapper sob a alcunha de Migué. Alexandre se derrete pelo garoto e compartilha tudo dele em seu Instagram.

Continua depois da publicidade

O Miguel já tem esse dom da rima há muito tempo. É quase um repentista. É muito bonito. A palavra vem no improviso. Não dou conselhos, passo a experiência que eu tive na idade dele.

Alexandre, então, se dedicou a direção teatral. Ele comanda o show "Pantera" de Denise Assunção e, desde 2018, dirige o espetáculo "Palhaço" com Dedé Santana, que terá apresentação única e gratuita em São Paulo, às 18h deste domingo, no Teatro Sérgio Cardoso.

Nós estamos num momento em que os órgãos de controle permitem a abertura das salas de teatro, com distanciamento, elenco testado, público reduzido. Eu acho o teatro um lugar seguro. A plateia sempre de máscara. Acho que é uma ação que vai trazer um pouco de alento emocional e poesia.

rthtyyt - Daniell Zukko - Daniell Zukko
Alexandre Borges dirige Dedé Santana no espetáculo "Palhaços"
Imagem: Daniell Zukko
Continua depois da publicidade

O espetáculo "Palhaços" também será exibido online no site Cultura em Casa. O ingresso é gratuito e aceita-se alimentos não perecíveis. 4 toneladas já foram arrecadadas em prol do Centro da Memória do Circo e para o Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo.