PUBLICIDADE
Topo

Com sobrenome de poeta, Isabelle Drummond tatua poesia em homenagem ao pai

Isabelle Drummond mostrou tatuagem inspirada em poema que fez para o pai morto em 2007
Isabelle Drummond mostrou tatuagem inspirada em poema que fez para o pai morto em 2007
Reprodução/TV Globo

De Splash, em São Paulo

02/12/2020 15h00Atualizada em 02/12/2020 15h00

A atriz Isabelle Drummond mostrou ontem no "Conversa com Bial" uma tatuagem que fez como forma de homenagear o seu pai, Fernando Luiz Drummond Xavier, morto após levar dois tiros no rosto em 2007, no Rio de Janeiro.

E ela, com sobrenome de poeta, tatuou uma... poesia!

Continua depois da publicidade
Isabelle entrevista - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Isabelle Drummond no "Conversa com Bial" de ontem
Imagem: Reprodução/TV Globo

Isabelle tatuou um verso de "Uma Arte", de Elizabeth Bishop, uma poetisa norte-americana. A obra fala sobre perdas e como elas são encaradas.

Essa poesia fala de uma perda. E como as coisas acontecem. E tem coisas que você não consegue controlar. Isso é algo que precisamos controlar"

Pai de Isabelle Drummond - Reprodução/Instagram @yeuxpapillon - Reprodução/Instagram @yeuxpapillon
Pai de Isabelle, Fernando Luiz Drummond Xavier
Imagem: Reprodução/Instagram @yeuxpapillon

A atriz explicou que a perda pessoal dela, em 2012, achou uma identificação com a perda descrita nos versos de Elizabeth.

Continua depois da publicidade

Me tocou. De alguma forma eu conheço aquele sentimento que ela disse ali"

Ela ainda explicou seu sobrenome: Drummond. Sim, tem uma ligação com o poeta Carlos Drummond de Andrade. Segundo ela, a avó paterna é prima de Carlos, o poeta.

Não sei o nível, nunca fui a fundo nessa pesquisa familiar. Ela trocava várias cartas com ele, minha avó adora escrever"

Entrevista Isabelle Drummond - Divulgação/Globo - Divulgação/Globo
Isabelle Drummond no 'Conversa com Bial'
Imagem: Divulgação/Globo

No fim da entrevista, Pedro Bial leu a tradução da poesia tatuada por Isabelle no braço e agradeceu a participação dela.

Continua depois da publicidade

Não é tão difícil dominar a arte de perder. Tanta coisa parece preenchida na intenção de ser perdida que sua perda não é nenhum desastre. Perca alguma coisa todo dia"