PUBLICIDADE
Topo

Após ser 'esquecida' no Grammy, Halsey cita 'subornos' na premiação

Halsey lançou "Manic" em janeiro, com 80% de aprovação na Rolling Stone e The Guardian - Reprodução/Instagram
Halsey lançou 'Manic' em janeiro, com 80% de aprovação na Rolling Stone e The Guardian Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/11/2020 08h52

Assim como The Weeknd, Halsey também foi uma das artistas "esquecidas" pelas indicações do Grammy Awards. A cantora, que lançou "Manic" no início do ano e recebeu críticas positivas pelo disco, falou sobre o assunto nas redes sociais.

"Estive pensando e quis escolher minhas palavras com cuidado porque muitas pessoas mostraram simpatia e desculpas por mim desde as indicações ao Grammy", começou ela.

"O Grammy é um processo difícil de entender. Muitas vezes, pode ser sobre apresentações privadas nos bastidores, conhecer as pessoas certas, fazer campanha por boatos, com os apertos de mão certos e 'subornos' que podem ser ambíguos o suficiente para passar por 'não subornos'", disse.

"Se você for tão longe, é sobre se comprometer com apresentações exclusivas na TV e ter certeza de ajudar a Academia a ganhar milhões em publicidade na noite do programa", continuou Halsey que, assim como Drake, Elton John e Bruno Mars, demonstrou apoio ao cantor The Weeknd, que lançou o aclamado "After Hours" e foi considerado o maior injustiçado pelo Grammy.

"Talvez às vezes seja (!!), mas nem sempre se trata de música, qualidade ou cultura. Só queria tirar isso do meu peito. The Weeknd merece coisa melhor, e "Manic" também, talvez seja impróprio da minha parte dizer isso, mas eu não posso mais me importar", declarou a cantora.

Halsey desabafa sobre Grammy - Reprodução - Reprodução
Desabafo da cantora publicado no Instagram
Imagem: Reprodução