Topo
REPORTAGEM

Garcia minimiza incidente na CNN: "Fui avisado que não tinha mais tempo"

Alexandre Garcia fica em silêncio por 12 segundos após questionamento de Rafael Colombo Imagem: Reprodução/CNN
exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Colunista do UOL

06/05/2021 21h24

O jornalista Alexandre Garcia minimizou o incidente que protagonizou na manhã desta quinta-feira (06) na CNN Brasil. Questionado pelo âncora Rafael Colombo sobre algo que havia dito, o comentarista permaneceu em silêncio por 12 segundos e não respondeu. Segundo Garcia disse ao UOL, ele havia sido avisado pelo ponto eletrônico que o seu tempo estava esgotado e, por isso, permaneceu em silêncio.

"Aconteceu que a editora me avisou no ouvido que eu não tinha mais tempo, que tinha se esgotado e eu tinha que devolver. Que eu tinha só um minuto. Só isso", disse o jornalista ao UOL, por telefone, esta noite.

Perguntei a Garcia sobre o significado da observação feita em seguida ("Não sei se eu volto"), colocando em dúvida se voltaria a apresentar o programa. Respondeu ele: "Ou eu continuo falando, e não tenho mais tempo, ou eu respondo. O que que eu faço? Aí eu não fiz nada".

Ainda segundo Garcia, a frase que disse a Colombo ("Eu não estou sendo entrevistado") não foi uma crítica. "Adoro perguntas", afirmou.

Por fim, Garcia disse que está tudo certo com a CNN. "A menina foi orientada a não me interromper mais. Todos os dias, ela fica lá 'acabou o tempo', 'acabou o tempo'. Ninguém aguenta."

Mais cedo, a CNN Brasil disse, por meio de sua assessoria, que Alexandre Garcia "seguirá no quadro" do telejornal.

Vídeos apagados no You Tube

Durante a conversa, questionei Garcia sobre os vídeos recentemente apagados em seu canal no You Tube. O jornalista teve um vídeo apagado pela empresa no final de abril e, em seguida, vários outros foram tirados do ar por iniciativa própria. "Não foi pra mim, não. Foi o Google no mundo inteiro", respondeu. Em seguida, a ligação caiu e não consegui mais falar com ele.

Segundo um levantamento do programador Guilherme Felitti, do estúdio Novelo Data, desde 30 de abril, Garcia já apagou 66 vídeos e colocou mais de 400 como "privados", ou seja, inacessíveis para qualquer pessoa fora o administrador do canal.

São vídeos em que Garcia defende o presidente Jair Bolsonaro, apoia o uso da cloroquina para tratamento da covid-19 e outras medidas do governo. A um seguidor que perguntou a razão de apagar os vídeos, o jornalista respondeu: "Regras da empresa".

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Garcia minimiza incidente na CNN: "Fui avisado que não tinha mais tempo" - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL


Newsletter