PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Antes de criticar Biel na Fazenda, é preciso lamentar a escolha da Record

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

15/10/2020 14h31

Entre os candidatos à fama que ocupam a "Fazenda 12", o cantor Biel se destaca por ser um dos poucos realmente célebres, tanto no pessoal como no profissional, como diria Faustão.

Com uma carreira musical iniciada em 2013, Biel acumula "seis hits", como ele diz, e um fã-clube de tamanho respeitável (6,2 milhões de seguidores no Instagram e 3,2 milhões no You Tube).

Todo este patrimônio perdeu o brilho diante da ficha corrida extensa que ele acumulou nos últimos anos, incluindo acusações de assédio sexual a uma jornalista e agressão à ex-mulher, entre outros.

Parodiando a frase de Millôr Fernandes sobre o Brasil, Biel tem um grande passado pela frente. E ele sabe disso. Daí a importância que dá para a sua participação nesta edição da "Fazenda".

Biel e Luiza - Reprodução / Internet - Reprodução / Internet
Luiza Ambiel e Biel na "Fazenda"
Imagem: Reprodução / Internet

"Eu sei aonde eu quero chegar. Eu sei do meu propósito e objetivo aqui dentro", disse ele a Luiza Ambiel. "Não estou aqui por R$ 1,5 milhão. Isso aí eu faço em menos de um ano lá fora, se eu tiver uma coerência aqui dentro e se eu for quem eu sei quem eu sou", prosseguiu. "Aqui dentro é 'limpar uma barra' para que eu possa simplesmente trabalhar de novo."

Antes de julgar Biel, acho que cabe julgar a Record, que o selecionou para o programa conhecendo em detalhes o passado do participante. O cantor foi contratado justamente por acumular um histórico de problemas.

dado Dolabella - Reprodução/Record - Reprodução/Record
O ator e cantor Dado Dolabella agradece aos fãs que votaram para que ele vencesse a primeira edição de "A Fazenda" (23/8/2009)
Imagem: Reprodução/Record

Não é a primeira vez que a emissora faz escolhas assim - Dado Dolabella, campeão da primeira edição, e Marcos Harter, vice-campeão da "Fazenda 9", estão aí para lembrar que a Record não se incomoda, para não dizer que aprecia, participantes que foram acusados de agressão a mulheres.

A emissora vende a ideia de que "A Fazenda" é uma espécie de "rehab" para figuras como essas - e, pelos resultados alcançados, o público parece acreditar que este "rehab" é eficaz.

Bom, estabelecido que o responsável pela presença de Biel na "Fazenda" é a Record, e não ele, podemos passar ao ponto seguinte, que é tentar avaliar o que ele está fazendo lá.

Não vejo Biel como um mau participante. É verdade que o permanente sorriso "de deboche", como apontou Jojo Todynho, parece dizer: "Vocês são muito otários de acreditar que eu mudei".

Mas ele não tem feito coisas piores do que os seus rivais. Combina votos, articula proteger os amigos e ferrar os inimigos, ri da desgraça alheia, fofoca, intriga. Enfim, um participante comum.

Em sua terceira roça desde o início do programa, Biel pela primeira vez corre o risco de ser eliminado. A enquete do UOL aponta um empate técnico entre os três indicados - além dele, a cantora Tays e a ex-panicat Carol Narizinho.

O que isso significa? Acho que vale refletir sobre o assunto. Pensando exclusivamente do ponto de vista do entretenimento que estas três figuras ofereceram até agora, Tays é quem merece deixar o jogo. Mas nem sempre é isso que pesa mais na decisão do público.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL