PUBLICIDADE
Topo

Na GloboNews, Felipe Neto critica o próprio canal e a rival CNN Brasil

Felipe Neto responde à jornalista Cristiana Lôbo na GloboNews  - Reprodução
Felipe Neto responde à jornalista Cristiana Lôbo na GloboNews Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

02/08/2020 23h13

Entrevistado neste domingo (02) na GloboNews, o youtuber Felipe Neto criticou o canal de notícias do Grupo Globo por ajudar a "validar" a posição de "negacionistas da pandemia e negacionistas da necessidade de isolamento social".

Felipe se referiu especificamente ao deputado Osmar Terra (MDB-RS),"uma pessoa que já veio aqui na GloboNews, inclusive, que eu critiquei abertamente por ter sido convidada e que aparece também em outros canais o tempo inteiro", lamentou. "Toda semana ele fala que a próxima semana é o fim constatado da pandemia. Ele está falando isso desde março. Falou que iam morrer mil pessoas e continua até hoje arrotando que está certo em relação à pandemia".

O youtuber foi ainda mais duro com a CNN Brasil, concorrente da GloboNews. A jornalista Cristiana Lôbo perguntou se ele se sentaria para discutir o projeto das fake news, que está sendo debatido no Congresso, com blogueiros que defendem o governo Bolsonaro. "Eu não me sentaria da mesma forma que eu não aceito aparecer na CNN Brasil pela mesma razão", disse.

Prosseguiu Felipe: "A gente está vivendo hoje no Brasil um momento de validação do negacionismo, a validação do obscurantismo, a validação de pessoas e ideias que sempre ficaram no esgoto da opinião pública. E que de repente saíram dos esgotos, como ratos pela cidade, de uma forma tão violenta e grotesca, que saíram contaminando todo mundo."

Na visão do youtuber, os meios de comunicação precisam fazer um contraponto mais efetivo a pessoas que disseminam informações falsas. "E aqui não estou falando de opiniões divergentes, estou falando de negacionistas científicos, péssimos revisionistas históricos, pessoas que intencionalmente deturpam, manipulam e negam o que a ciência diz para tentar vender uma ideologia".

Disse ele ainda: "Sentar com essas pessoas, pra mim, é validá-las. E eu não posso fazer isso. Eu não me sentaria com esses indivíduos, principalmente desses blogs, que fazem parte deste esquema de articulação da extrema direita, que ajudam a disseminar o tempo inteiro notícias mentirosas e estão sendo alvo de investigações."

Dirigindo-se aos jornalistas da GloboNews que o entrevistavam, Felipe Neto pediu: "É papel do jornalismo negar. Eu levanto essa necessidade, pedindo para os bons jornalistas, que vocês são, quando encontrarem essas pessoas, essas opiniões, que as neguem e que mostrem a verdade de imediato".

O youtuber citou o caso da âncora da CNN americana que interrompeu um assessor do presidente Donald Trump que insistia em defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento da covid. "Você está prestando um desserviço real aos americanos", disse ela, encerrando a entrevista.

Felipe Neto não foi contestado por nenhum de seus entrevistadores da GloboNews. Procurada, a CNN Brasil não quis comentar as declarações do youtuber.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL