PUBLICIDADE
Topo

Leandro Carneiro

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Turner diz ter tirado do ar 'Show do Kibe' após notificação judicial

O ator Antonio Tabet é conhecido como Kibe Loco - Erbs Jr./UOL
O ator Antonio Tabet é conhecido como Kibe Loco Imagem: Erbs Jr./UOL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Leandro Carneiro

Editor de Splash, viciado por qualquer tipo de reality show, inclusive aqueles que os famosos vivem na vida real. Jornalista há mais de 10 anos e palpiteiro desde sempre. Se o assunto for esporte entro em campo também.

Colunista do UOL

12/08/2021 15h48

A Turner, dona do canal TNT, se posicionou em relação ao processo vencido por Antônio Tabet, o Kibe Loco, por exibição ilegal da segunda temporada do programa "O Show do Kibe". A empresa diz que cumpriu todas as suas obrigações contratuais com a Contente, que era responsável pela atração.

"O programa "Show do Kibe - Segunda Temporada", produzido pela produtora Contente, foi licenciado para a Turner e retirado do ar devido à uma decisão judicial relacionada ao não pagamento do cachê do apresentador pela produtora. A Turner esclarece que arcou com todas as suas obrigações contratuais perante à produtora", disse a Turner.

Tabet e seus representantes acionaram a Contente Produções LTDA na Justiça após ficar sem receber salário pelo programa. Após conseguir rescindir o contrato, eles afirmam ter notificado a Turner.

Ainda segundo os representantes de Tabet, a TNT manteve a exibição da segunda temporada do programa mesmo após a notificação. Isso os obrigou a buscar na Justiça uma compensação financeira.

Em primeira instância, o juiz Fábio de Souza Pimenta, da 32ª Vara Cível da Capital, deu ganho de causa para Tabet. A Turner recorreu, mas a 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a decisão.

Segundo os advogados de Tabet, a Turner pode ter de pagar cerca de R$ 4 milhões de Tabet pela exibição ilegal dos episódios.