PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #155: Cuca e Renato reinam, Corinthians contrata, Volpi em xeque no São Paulo

Do UOL, em São Paulo

27/08/2021 11h54

Técnico do Manchester City e considerado há alguns anos entre os melhores do mundo na profissão, Pep Guardiola declarou na última semana que o próximo passo após o clube inglês seria treinar uma seleção, o que chamou a atenção durante sua participação em um evento de uma instituição financeira brasileira e no podcast Posse de Bola #155 os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira abordaram a questão de um técnico estrangeiro na seleção brasileira e quem são os treinadores brasileiros do momento.

Para Arnaldo Ribeiro, em um momento conturbado pelo qual passa a CBF, seria uma tacada certeira a escolha de um estrangeiro para treinar a seleção brasileira depois da Copa do Mundo do Qatar, quando Tite poderá concluir o seu trabalho após o segundo ciclo de mundiais e considera a busca no exterior uma opção melhor do que apostar em Cuca ou Renato Gaúcho, que são os que se destacam atualmente no país treinando Atlético-MG e Flamengo.

"Acho que a questão de um estrangeiro na seleção brasileira de futebol para mim é quase uma evidência desde a Copa de 2010, desde que o Dunga com aquele time mais reativo foi eliminado pela Holanda depois de fazer uma boa Copa do Mundo até então. Mas faltando um pouco de repertório, um pouco de solução, e a gente vê em tantos outros esportes brasileiros a experiência interessante com estrangeiros comandando seleções, handebol, futebol feminino agora", afirma Arnaldo.

Além das outras modalidades, o jornalista cita a presença maior de treinadores de outros países no futebol brasileiro, com os portugueses Abel Ferreira e António Oliveira dirigindo Palmeiras e Athletico-PR, os argentinos Hernán Crespo, Juan Pablo Vojvoda e Diego Dabove com São Paulo, Fortaleza e Bahia, além do uruguaio Diego Aguirre no Inter e o paraguaio Gustavo Florentín no Sport, lembrando também que o Coritiba, líder da Série B, tem o paraguaio Gustavo Morínigo.

"O que estamos vendo aqui é que os principais clubes brasileiro, ou um terço dos clubes brasileiros da Série A já tem técnicos estrangeiro, são sete de 20 e times que desde o que está lutando contra o rebaixamento até o que está lutando pelo título, espalhamos por todo o espectro. Tem técnico estrangeiro na Série B também, liderando a Série B, são coisas que estão acontecendo atualmente e que fazem você vislumbrar que é uma possibilidade um técnico estrangeiro dirigir a seleção brasileira depois da Copa do Qatar", afirma Arnaldo.

"Nesse vazio de ideias, vazio de poder da CBF, ninguém sabe quem manda, quem vai mandar, mas para quem for o presidente da CBF pós Copa do Qatar seria uma tacada interessante um técnico estrangeiro, mais do que eventualmente apostar no Cuca e no Renato", completa.

Em relação a Guardiola, Juca Kfouri questiona qual seria a seleção desejada por Pep Guardiola, colocando Brasil, Argentina e Espanha como possibilidades consideráveis mas também coloca dúvida sobre o quanto o treinador catalão poderia impor sua marca ao considerar o tempo de trabalho tão menor que teria em uma seleção em comparação ao que consegue fazer em clubes.

"Eu fico me perguntando qual é a seleção dos sonhos do Guardiola: a seleção brasileira, que ele dizia em outras épocas ter sido responsável ou uma das responsáveis por ele se apaixonar por futebol, pelo que ele ouvia do pai e do avô, será a seleção da Espanha, embora ele preferisse a seleção da Catalunha, mas que não joga Copa do Mundo? Será a seleção da Argentina porque ele tem ali em figuras como o Loco Bielsa um dos seus gurus? Qual seleção ele escolheria para treinar?", questiona Juca.

"Ele obviamente está preocupado em ter uma experiência em uma Copa do Mundo, em uma seleção de ponta e evidentemente está preocupado em fazer a sua marca autoral aparecer também em uma seleção nacional, o que é mais difícil por causa do contato muito menor que ele virá a ter em uma seleção. Não tem o dia a dia que ele tem, que os técnicos têm nos clubes, mas não deixa de ser realmente interessante", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL