PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Guardiola diz que próximo passo da carreira é seleção, mas vê Brasil longe

Pep Guardiola, técnico do Manchester City, em entrevista após partida da Liga dos Campeões 2020-21 - Alexander Scheuber - UEFA/UEFA via Getty Images
Pep Guardiola, técnico do Manchester City, em entrevista após partida da Liga dos Campeões 2020-21 Imagem: Alexander Scheuber - UEFA/UEFA via Getty Images

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

25/08/2021 14h17

O técnico Pep Guardiola, do Manchester City, quer treinar uma seleção depois que deixar o clube inglês. O espanhol afirmou que esse seria o próximo passo de sua carreira e que adoraria disputar uma Eurocopa, Copa América ou Copa do Mundo, mas não vê o Brasil como uma possibilidade.

Guardiola é fã assumido do futebol brasileiro, mas acredita que dificilmente treinadores estrangeiros dirijam as principais seleções do mundo. Ele ainda elogiou a qualidade dos técnicos nacionais.

"O próximo passo é dirigir uma seleção. Acho que é hora. Quero descansar um pouco, mas depois quero treinar uma seleção. Acho que o Brasil vai ter sempre treinadores brasileiros, são muitos bons. Creio que é muito difícil que treinadores estrangeiros dirijam as principais seleções do mundo", afirmou durante sua participação no evento "XP Expert".

Questionado sobre o atual momento da seleção brasileira, se o país pentacampeão mundial vivia um momento de baixa diante de tantos times históricos, Guardiola relativizou comparações e elogiou o time do técnico Tite.

"As equipes da atualidade sempre perdem para as históricas. Mas se me perguntar: o que acho do Brasil de Tite? Uma equipe fantástica. Alguns são jogadores meus, outros são rivais e os conheço. Brasil sempre é candidato, favorito, sempre foi e sempre será. Faz parte da essência, da cultura", disse.

Apesar de acreditar que treinadores brasileiros sempre comandarão a seleção do pais, Guardiola é da opinião de que técnicos estrangeiros e suas metodologias diferentes agregam em todos os países.

"O futebol espanhol foi muito melhor quando trouxe estrangeiros. O futebol inglês também, quando estrangeiros se juntaram. Não há nada melhor do que aprender com os demais. Nós aprendemos com o Brasil e o Brasil pode aprender com todo mundo. Hoje sabemos o que está acontecendo do outro lado do mundo. O conhecimento se passa, a cultura se passa."

Dinheiro para Romário e Ronaldo

Durante o evento, Pep Guardiola foi perguntado sobre o principal brasileiro que jogou pelo Barcelona e elogiou diversos deles, passando por Romário, Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho. No entanto, quando questionado qual dos centroavantes contrataria para seu Manchester City, resolveu esbanjar.

"Temos tanto dinheiro que contrataríamos os dois", disse se referindo a Ronaldo e Romário.

Dani Alves até os 45 anos

Em outro momento da entrevista, Guardiola falava sobre questões financeiras e como se preparou citando o final de sua carreira. Pep se aposentou aos 35 anos e já estudava para seguir carreira como treinador. Ao falar sobre seus últimos anos de carreira, sobrou um elogio para Daniel Alves, lateral do São Paulo e da seleção brasileira.

"Digo aos jogadores: eu posso treinar até os 80 anos se continuar tendo êxito. Eles, aos 35, 36, 37 — se não forem como Daniel Alves, que pode jogar até os 45 anos — vão se aposentar", disse.

Futebol