PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #152: Galo dispara, Fla contrata, Palmeiras x São Paulo e Corinthians sobe

Do UOL, em São Paulo

16/08/2021 14h02

O Atlético-MG disparou na liderança do Campeonato Brasileiro com a vitória por 2 a 0 sobre o vice-líder Palmeiras, em jogo que teve polêmica de arbitragem após a expulsão do volante Patrick de Paula ainda no primeiro tempo em jogada que rendeu muita reclamação dos palmeirenses e foi seguida de cartão vermelho também para o técnico Abel Ferreira e o auxiliar João Martins.

No podcast Posse de Bola #152, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a liderança do Atlético-MG, vivendo grande momento no Brasileirão e ainda com a confirmação da chegada do centroavante Diego Costa, além das reclamações do Palmeiras e o futebol apresentado pelo time de Abel Ferreira.

Para Juca Kfouri, o Atlético-MG jogava melhor que o Palmeiras no Mineirão e provavelmente venceria o jogo dos líderes, mas a expulsão de Patrick de Paula acabou influenciando ao facilitar para o time do técnico Cuca, que atingiu a sua nona vitória consecutiva.

"O jogo no sábado foi um jogo em que o Galo jogava muito melhor do que o Palmeiras, ao que tudo indica, venceria o Palmeiras em qualquer circunstância, mas teve a vida evidentemente muito facilitada, porque a expulsão do Patrick de Paula foi desses crimes lesa-futebol que os assopradores de apito e seus asseclas costumam cometer no futebol brasileiro", diz Juca.

"Um jogo que tinha tudo para ser um enorme espetáculo, acabou prejudicado porque, com dez, o Palmeiras que já era inferior tomou o gol, o segundo gol e não tinha a menor chance de tentar reagir, então apenas tratou de não levar uma goleada", completa.

O jornalista ressalta que o Atlético-MG já era superior ao Palmeiras antes mesmo da vantagem numérica, mas lamenta que toda a expectativa por um grande jogo tenha terminado cedo com a expulsão do jogador palmeirense.

"Quero deixar claro exatamente essa posição, o Galo ganharia de um Palmeiras despersonalizado, sem nenhuma ideia novamente, de qualquer maneira, com 11 ou com 10, como ganhou, mas que teve a tarefa facilitada, teve. Que a grande expectativa em torno do jogo dos líderes, foi mais uma vez atrapalhada pelo excesso de intervencionismo dos nossos assopradores de apito, isso é fora de qualquer dúvida. O Patrick escorrega, evidentemente, sem nenhuma intenção de fazer a falta, e leva um segundo cartão amarelo inteiramente sem sentido", conclui.

Também crítico da decisão da arbitragem, Arnaldo Ribeiro afirma que não se pode tirar o mérito do Atlético-MG pelo que jogou na partida e pelo que vem fazendo no Campeonato Brasileiro, além de citar que a reação de Abel Ferreira foi ruim ao deixar seu time na mão com a expulsão logo em seguida por reclamação, lembrando que o time já venceu o Inter com um jogador a menos quando o técnico teve outra reação.

"Colocar tudo o que o Palmeiras não jogou ou não vem jogando na expulsão do Patrick de Paula é uma cortina de fumaça. E o Abel Ferreira, que só falou disso depois do jogo e que foi expulso mais uma vez, deixando o time na mão, porque no final do primeiro tempo, se o Palmeiras talvez segurasse o 0 a 0 até o final do primeiro tempo, com o técnico dele ali e armasse uma estratégia para pelo menos empatar no Mineirão, talvez ele conseguisse, mas não, o técnico já foi expulso na sequência do Patrick de Paula", diz Arnaldo.

"Só falar da expulsão do Patrick de Paula, primeiro, tira o mérito do Atlético-MG, que vinha jogando mais e vem jogando muito mais do que o Palmeiras nesse momento da temporada. O Palmeiras do Abel desde que parou para as duas semanas de treinamento, não jogou bem. Não jogou bem nas duas partidas contra o São Paulo, não jogou bem contra o Fortaleza, não jogou bem contra o Atlético-MG. O Palmeiras não bateu ninguém da parte de cima da tabela no Brasileiro e teve dificuldades nos jogos grandes até agora, contra São Paulo e até contra o Corinthians, o seu rival. O Palmeiras está devendo futebol e boas exibições", conclui.

O programa também analisa a vitória do Flamengo sobre o Sport e a chegada de reforços no clube carioca, o Fluminense derrotado pelo Internacional em semana de jogo decisivo na Libertadores, o Corinthians em recuperação e vencendo na chegada de Renato Augusto, o jogo entre Palmeiras e São Paulo no Allianz Parque e o Grêmio em situação complicada no Brasileirão.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL