PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Posse de Bola #109: Ceni e Abel falam, São Paulo contrata, Corinthians avança

Do UOL, em São Paulo

19/03/2021 13h31

A entrevista de Rogério Ceni, técnico do Flamengo, no programa Dividida, do UOL Esporte, repercutiu entre jornalistas e torcedores rubro-negros, muitos criticando algumas das declarações dele sobre o time de Jorge Jesus em 2019, a ponderação sobre a possibilidade de escalar Gabigol e Pedro juntos, entre outros temas, em uma semana que foi marcada por entrevistas de técnicos, como as do português Abel Ferreira, do Palmeiras, e Cuca do Atlético-MG.

No podcast Posse de Bola #109, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam as entrevistas dadas pelos técnicos, uma comparação em relação ao que falaram Rogério Ceni e Abel Ferreira, além das críticas de torcedores ao treinador do Flamengo.

Mauro Cezar, que entrevistou Ceni, afirma que no caso do ex-goleiro ele já tem a garantia de que será criticado por parte dos rubro-negros independentemente do que falar em uma entrevista, mas que no geral, o treinador conseguiu se sair bem nas explicações que deu.

"Não só no futebol, mas em várias áreas, todo mundo quer ter razão, então quem disse que o Ceni era uma porcaria de técnico, que tinha que ser demitido e torce pelo Flamengo, não engole o fato de ser campeão brasileiro dois anos seguidos, mesmo com o técnico que eles dizem que é ruim, então ele já começa o jogo derrotado, já começa sabendo o que vai acontecer. Fale o que ele falar, alguns colegas da imprensa vão descer o cacete de qualquer maneira e parte da torcida também, porque os caras querem ter razão", afirma Mauro Cezar.

"É a turma da Fla Mimimi, é a turma que acha que o Natan é o Aldair versão 2021, a gente não sabe se ele vai ser o Aldair ou se ele vai ser o Wellington, não sei, mas como foi vendido, é a mesma turma que reclamava quando venderam ainda na gestão de Bandeira de Mello o Felipe Vizeu por US$ 6,5 milhões, acharam que foi um mau negócio, que o Vizeu iria valer US$ 35 milhões. Alguém se arrepende da venda hoje? Acho que não", completa.

Em relação a declarações que foram criticadas pelo fato de o treinador ter citado momentos nos quais o time de Jorge Jesus em 2019 também encontrou dificuldades, Mauro ressalta que Ceni fez questão de elogiar o trabalho do português antes de fazer suas considerações.

"Acho que o Rogério foi bem sincero, foi até um pouco pueril esse comentário 'gostaria de receber mais elogios'. E quando ele falou do Jorge Jesus, ele fez todas as ressalvas, elogiando o time de 2019, dizendo que jogava muito, mas que houve também o jogo do Emelec nos pênaltis, como houve contra o Racing, um ganhou e o outro perdeu, de fato, uma disputa de pênaltis é o estágio limite para qualquer grande time ser eliminado por um mais fraco", diz Mauro.

"Lembrou alguns jogos que de fato o Flamengo não foi, o Flamengo não foi avassalador todo tempo, isso não existe, nem o Bayern de Munique é avassalador. Ele lembrou isso mas sempre frisando que o time jogava muita bola e mesmo assim teve dificuldades, não importa, as pessoas extraem esse pedaço, transformam em crítica e descem o pau. Para mim, o único escorregão que ele cometeu foi não ter admitido alguns erros", completa.

Por fim, Mauro elogia a sinceridade de Rogério Ceni na entrevista até comparando à forma mais comedida que o treinador costuma usar quando fala com a imprensa em geral.

"Eu vejo dessa forma, muita gente vai ficar sempre pegando no pé, procurando motivos para criticar o cara, eu acho que ele tem acertos e erros, mas ele foi campeão", diz o treinador.

"Eu vejo dessa maneira, de qualquer maneira ele vai ser atacado, até porque alguns colegas querem ter razão incondicionalmente, tudo bem, é um direito deles, querem ter razão, sejam felizes, e parte da torcida também e isso não vai mudar, mas acho que ele foi até, achei que foi menos media training e mais direto do que em outras ocasiões em que ele é mais cuidadoso na hora de falar, eu achei que foi bom o resultado", conclui.

Além da entrevista de Rogério Ceni, o programa repercute as declarações dadas por Abel Ferreira em suas conversas com jornalistas brasileiros, as contratações de jogadores experientes pelo São Paulo, que deverá ter Alex como treinador do time sub-20, as classificações de Santos e Grêmio na Libertadores, de Corinthians e Vasco na Copa do Brasil, e ainda o sorteio da Liga dos Campeões.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL