PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #49: Vasco líder, Fla no Z4, paulistas mal e a vez de Neymar

Do UOL, em São Paulo

21/08/2020 11h44

Campeão na temporada passada e com um início de temporada que dava sinais de novamente brigar pelo título, o Flamengo é apenas o 17º colocado na quarta rodada do Brasileirão, enquanto o rival Vasco, que nas últimas temporadas brigou para se manter na primeira divisão, lidera a competição. Enquanto isso, clubes como Corinthians e Palmeiras vencem mas preocupam seus torcedores com suas atuações e no São Paulo a pressão sobre Fernando Diniz não diminui, embora a diretoria siga dando respaldo publicamente ao treinador.

No podcast Posse de Bola #49, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam até a situação momentânea de Vasco e Flamengo, se já dá para esperar alguma surpresa faltando tantos jogos e considerando os elencos dos rivais cariocas, além de uma comparação sobre qual técnico faz o pior trabalho no comando de Corinthians, Palmeiras e São Paulo.

Para Mauro Cezar, o Campeonato Brasileiro no formato atual já ensinou que não se pode fazer previsões com tão poucas rodadas disputadas e que a alegria do torcedor do Vasco no momento pela liderança também se soma ao alívio em relação a fugir da briga na parte baixa da tabela.

"Todo mundo está careca de saber que não se define nada tão cedo, mas a pressa para tirar conclusões é uma coisa mais forte do que as pessoas, então ganho um jogo já é tudo maravilhoso, perdeu, o Atlético-MG outro dia era maravilhoso e agora não é mais porque perdeu para o Botafogo, e por aí vai", diz Mauro Cezar.

"Acho muito natural e justo a alegria do torcedor do Vasco, que eu entendo como um misto de alegria com um certo alívio até, porque você vê o time começar bem e você pensa, 'poxa', no fundo o cara sabe o seguinte 'esse ano, se a gente for num ritmo assim até um certo momento, a gente não vai passar sufoco, a gente pode ficar tranquilo lá no final do campeonato, em fevereiro, sem o risco de rebaixamento', que é a primeira preocupação do Vasco, isso é o óbvio", completa.

Na comparação entre os trabalhos realizados nos clubes da capital paulista, lembrando que o Santos trocou de treinador há poucas semanas, com a saída de Jesualdo Ferreira, substituído por Cuca, Juca Kfouri analisa que Vanderlei Luxemburgo deve mais que Tiago Nunes, do Corinthians, e Fernando Diniz, do São Paulo, considerando as condições que cada treinador tem.

"Luxa pelo singelo motivo que é quem tem uma constelação nas mãos para fazer um trabalho minimamente aceitável, mesmo descontando os quatro meses de parada e tudo mais, que eu acho que a gente deve lembrar sempre porque é uma experiência inédita no mundo, nunca um time parou tanto tempo de jogar futebol, então natural que faltasse ritmo", diz Juca.

"Eu acho que o Vanderlei Luxemburgo deveria tirar do Palmeiras mais do que está tirando. Não foi duro de ver [a vitória por 1 a 0 contra o Athletico-PR], foi uma pelada da pior qualidade. Não tem justificativa no gramado, que é um gramado de grama artificial no qual joga o Palmeiras hoje em dia no seu próprio estádio, realmente foi uma coisa abaixo da crítica, portanto, o Vanderlei é quem faz o pior serviço. Depois, é o Diniz, não há mais o que justifique", completa.

Já Arnaldo Ribeiro discorda e vê Diniz em situação pior que Luxemburgo, considerando o tempo de trabalho e as mudanças que o treinador do Palmeiras conseguiu fazer, além de ganhar o título do Campeonato Paulista.

"Entre o Diniz e o Luxa acho uma comparação injusta porque o Luxemburgo, mesmo fazendo um trabalho sofrível, ele conseguiu um troféu e conseguiu algumas mudanças importantes no time do Palmeiras sobretudo o sistema defensivo que melhorou bem com Felipe Melo na zaga e os meninos. O Diniz com mais tempo de trabalho não conseguiu nada, não conseguiu nem o troféu e hoje o time do São Paulo não mostra nada diferente dos demais, do trivial, é mais frágil que os demais", conclui.

O episódio também analisa o trabalho de Renato Portaluppi no Grêmio, o duelo entre o Atlético-MG de Jorge Sampaoli e o Internacional de Eduardo Coudet, além da análise sobre a final da Liga dos Campeões entre Bayern de Munique e Paris Saint-Germain, com a oportunidade de protagonismo para Neymar.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.