PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Candidatura dos Bálcãs à Copa do Mundo de 2030 é realista, diz Bulgária

12/12/2018 17h04

Por Angel Krasimirov

SOFIA (Reuters) - Uma proposta de países dos Bálcãs para sediar a Copa do Mundo de 2030 teria uma chance real porque os governos de Bulgária, Grécia, Sérvia e Romênia ofereceriam apoio à candidatura conjunta, disse o ministro dos Esportes búlgaro, Krasen Kralev, nesta quarta-feira.

Nenhuma nação balcânica sediou a Copa do Mundo, e o anúncio do mês passado surpreendeu devido à infraestrutura de esportes precária da região – mas o ex-corredor de provas de longa distância Kralev disse se tratar de uma meta atingível.

    "Nossa candidatura é completamente realista, estamos cientes de que temos que cumprir uma série de critérios da Fifa", disse o ministro de 51 anos à Reuters. "Permitam-nos lembrá-los que a Rússia também começou a construir a infraestrutura de esportes necessária depois de ser escolhida como sede da Copa do Mundo de 2018".

O quarteto dos Bálcãs também se candidatará para sediar o Campeonato Europeu de 2028, torcendo para que isso lhe dê a chance de melhorar ou erguer novos estádios.

    Kralev disse que a Grécia já anunciou que modernizará seu estádio olímpico, e a Sérvia planeja construir uma nova arena de 60 mil lugares.

    Ele disse que a Bulgária cogita investir o equivalente a cerca de 40,61 milhões de dólares na reforma do estádio Vasil Levski e erguer um novo estádio nacional na capital Sófia e mais dois em outras cidades.

    "A candidatura conjunta é um sinal político importante", disse Kralev. "Ela mostra que os países dos Bálcãs trabalharão juntos não somente no campo do esporte, mas que defenderão conjuntamente seus interesses políticos e econômicos".

    "É isso que a Fifa está procurando – estabilidade política e econômica. Esta é a coisa mais importante depois da infraestrutura".

    A Fifa não deve decidir a sede de 2030 antes de 2022, quando a Copa do Mundo acontecerá no Catar. 

Esporte