PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fadinha conquista 2ª medalha de prata para o Brasil nos Jogos Olímpicos

26/07/2021 15h38

Tóquio, 26 jul (EFE).- A brasileira Rayssa Leal, de apenas 13 anos e carinhosamente apelidada de Fadinha, conquistou nesta segunda-feira, na modalidade street do skate, a segunda medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio para o Brasil, que também teve bons resultados no surfe.

No Parque de Esportes Urbanos de Ariake, em Tóquio, a maranhense formou o pódio mais jovem da história do evento poliesportivo. A japonesa Momiji Nishiya, também de 13 anos, mas cinco meses mais velha de Rayssa, ficou com o ouro, e outra skatista do país-sede dos Jogos, Funa Nakayama, de 16, faturou o bronze.

Rayssa Leal, ao competir com 13 anos e 203 dias de idade, já havia feito história ao se tornar a atleta mais nova a representar o Brasil nos Jogos, superando por pouco mais de 140 dias a nadadora Talita Rodrigues, participante da edição de 1948, realizada em Londres.

Fadinha foi ainda mais longe e ainda garantiu um lugar no pódio, ao conseguir o total de 14,64 pontos na disputa, contra 15,26 de Nishiya e 14,49 de Nakayama.

A disputa do skate street feminino trazia a expectativa, inclusive, de um pódio com três brasileiras, mas Letícia Bufoni e Pâmela Rosa não confirmaram a condição de favoritas que ostentavam e sequer foram à final, ficando na nona e décima posições, respectivamente.

Ontem, a modalidade, que estreia nos Jogos, já havia rendido a primeira prata ao Brasil, no street masculino, com Kelvin Hoefler. Além disso, o país obteve um bronze no judô, também neste domingo, com Daniel Cagnin, na categoria até 66kg para homens.

SURFISTAS AVANÇAM.

Em outra modalidade estreante em que os brasileiros carregam boas chances de medalhas, o surfe, três atletas avançaram às quartas de final: Gabriel Medina e Ítalo Ferreira entre os homens, e Silvana Lima na disputa entre as mulheres.

Duas vezes campeão mundial e um dos maiores destaques da modalidade, Medina disputou bateria classificatória contra o australiano Julian Wilson e venceu por 14,33 a 13,00, garantindo vaga nas quartas de final.

Já Ferreira teve pela frente o neozelandês Billy Stairmand e conseguiu vitória um pouco mais tranquila, ao obter nota total de 14,54, contra 9,67 do adversário.

No feminino, Silvana Lima se garantiu nas quartas ao despachar a portuguesa Teresa Bonvalot, entrando assim na rota da atual líder do ranking mundial, a americana Carissa Moore. Já Tatiana Weston-Webb foi eliminada pela japonesa Amuro Tsuzuki.

REVEZAMENTO BRASILEIRO FICA EM 8º NA NATAÇÃO.

Na natação, o dia foi de conquistas de favoritos, enquanto o Brasil viu o sempre competitivo time do revezamento 4x100m livre entrar na água com pouca badalação e não ir além do oitavo lugar. O ouro ficou com os Estados Unidos, a prata com a Itália, e o bronze com a Austrália.

Entre os americanos que subiram ao topo do pódio esteve Caeleb Dressel, que vem sendo apontado como possível sucessor de Michael Phelps e pode sair de Tóquio com até seis medalhas douradas no peito.

Ainda entre os brasileiros, Fernando Scheffer, que havia avançando neste domingo às semifinais dos 200m livre com o segundo melhor tempo das eliminatórias, se classificou hoje à final da prova com a oitava marca do dia, ao nadar a prova em 1min45s71. O mais veloz da fase foi o britânico Duncan Scott, com 1min44s60.

Dois favoritos tiveram dias distintos na piscina olímpica. O britânico Adam Peaty confirmou o favoritismo e foi ouro nos 100m peito. Já a australiana Katie Ledecky, pela primeira vez na carreira, perdeu uma final em edição dos Jogos, nos 400m livre, prova vencida pela australiana Ariarne Titmus.

DERROTAS NO JUDÔ E HANDEBOL.

No judô, o dia foi de curta participação do Brasil, já que Eduardo Barbosa foi derrotado logo na estreia na categoria até 73kg, no ponto de ouro, pelo francês Guillaume Chaine. Além disso, não houve representantes do país entre as mulheres até 57kg.

Já no handebol masculino, a seleção verde e amarela passou a acumular o segundo resultado negativo após duas rodadas do torneio olímpico. Após perder para a Noruega anteriormente, a derrota deste domingo foi para a França, por 34 a 29.

No mountain bike, Henrique Avancini, que conhava com o pódio, não conseguiu obter uma inédita medalha para o Brasil na modalidade, ao terminar a disputa na 13ª colocação.

Esporte