PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sem Hamilton e Grosjean, Bahrein terá GP pela 2ª semana consecutiva

03/12/2020 13h49

Redação Central, 3 dez (EFE).- O Bahrein sediará mais uma etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, desta vez o Grande Prêmio do Sakhir, em traçado alternativo ao utilizado no último fim de semana, mas dessa vez sem o britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, que deu positivo em teste para o novo coronavírus.

Além do campeão mundial por antecipação, outro "desfalque" será o do francês Romain Grosjean, da Haas, que sofreu impressionante acidente no domingo, após toque com o russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri, e se chocar contra o guard rail, o que provocou incêndio no carro, que foi partido ao meio.

O veterano, que sofreu queimaduras nas mãos e em um dos tornozelos, será substituído por Pietro Fittipaldi, neto do duas vezes campeão da Fórmula 1 Emerson Fittipaldi. O jovem, de 24 anos, será o 32º brasileiro na categoria, o primeiro desde Felipe Massa, que se aposentou em 2017.

Além disso, será o quarto da família, além do detentor dos títulos das temporadas 1972 e 1974, de Wilson, irmão de Emerson, e de Christian Fittipaldi, que disputou 40 GPs entre 1992 e 1994.

A principal atração, no entanto, deve ser o piloto que ocupará o lugar de Hamilton, o também britânico George Russell, que nesta temporada e na anterior ocupou cockpit da Williams.

Sem pontos na categoria, o jovem, de 22 anos, superou o companheiro de equipe nos últimos 36 treinos de classificação, em 21 o polonês Robert Kubica e em 16 o canadense Nicholas Latifi, marca semelhante a estabelecida por Nelson Piquet entre 1979 e 1982.

O recorde neste quesito é do alemão Michael Schumacher, com 56 qualificações a frente do companheiro entre 1992 e 1995; seguido por Ayrton Senna, com 44, entre 1985 e 1988.

Com Russell, piloto afiliado da Mercedes, que foi liberado pela Williams, a escuderia alemã está focada na busca do vice-campeonato do Mundial de Pilotos. O finlandês Valtteri Bottas está com 201 pontos, 12 a mais que o holandês Max Verstappen, da Red Bull.

A briga pelo quarto lugar, com pequena margem entre os concorrentes, é outra atração nas duas etapas finais da temporada. O australiano Daniel Ricciardo, da Renault, ocupa a posição, com 102 pontos, dois a mais que o mexicano Sergio Pérez, da Racing Point, e quatro a mais que o monegasco Charles Leclerc, da Ferrari.

Mais atrás, estão o britânico Lando Norris, da McLaren, com 86 pontos; o espanhol Carlos Sainz, também do time britânico, e o tailandês Alexander Albon, da Red Bull, com 85; e mais distante o francês Pierre Gasly, da AlphaTauri, com 71, fechando o 'top-10'.

O Grande Prêmio do Sakhir será realizado no anel externo do Circuito Internacional do Bahrein, com traçado de 3,543 quilômetros (o do último fim de semana tinha 5,412 km). Por isso, serão dadas 87 voltas, contra 57 da etapa passada.

Segundo estimativas, a volta mais rápida no treino de classificação deverá girar em torno dos 55 segundos. Para termos de comparação, a pole obtida por Hamilton no último sábado veio com o tempo de 1min27s264.

O GP do Sakhir terá início de atividades nesta sexta-feira, às 10h30 (de Brasília), com o primeiro treino livre. No mesmo dia, quatro horas depois, acontecerá o TL2. No sábado, às 11h será realizado o TL3 e às 14h a sessão de classificação. A prova terá início no domingo, às 14h10.

Esporte