Topo

Esporte


Fuenzalida quer jogo "completamente redondo" do Chile contra Colômbia

26/06/2019 17h04

São Paulo, 26 jun (EFE).- Após a derrota para o Uruguai por 1 a 0 na última segunda-feira, no Maracanã, o Chile terá a dura missão de enfrentar a Colômbia, única equipe com 100% de aproveitamento na Copa América até agora, em duelo que será disputado na próxima sexta, na Arena Corinthians, e valerá uma vaga nas semifinais.

O meia José Pedro Fuenzalida, um dos jogadores mais experientes de 'La Roja' nesta edição do torneio continental, disse que será preciso uma partida praticamente perfeita para passar de fase.

"Agora temos que juntar tudo que fizemos de bom e fazer um jogo completamente redondo. Defender muito bem quando for preciso, mas também criar chances de gol", declarou o meia-atacante em entrevista coletiva em São Paulo.

O meia da Universidad Católica admitiu que a melhor atuação ofensiva do atual bicampeão continental nesta edição do torneio foi na estreia, em que goleou o Japão por 4 a 0, e que depois houve uma queda de nível no triunfo sobre o Equador por 2 a 1 e na derrota para o Uruguai por 1 a 0.

O jogador de 34 anos voltará ao time titular depois de ter sido poupado contra os uruguaios e alertou para os perigos dos 'Cafeteros', derrotados pelo Chile nas semifinais da Copa América Centenário, em 2016.

"É um time que se recua melhor. Joga com muita potência na frente, e pode até nos dar algum espaço para atacar, mas é preciso ter concentração porque no contra-ataque podem nos causar dano. É mais pragmático, mas muito agressivo quando vai para o ataque", analisou.

Fuenzalida ainda destacou a força da seleção chilena, que ficou fora da última Copa do Mundo, mas foi à final das últimas três competições que disputou, com dois títulos seguidos da Copa América e o vice da Copa das Confederações em 2017, com derrota para a Alemanha.

"Temos uma seleção de nível mundial, que demonstra que sabe competir como ninguém. Não foi à toa que chegamos a essas três finais", destacou.

Por fim, o meia saiu em defesa do zagueiro Gonzalo Jara, bastante criticado por ter agredido o torcedor que invadiu o gramado na partida contra o Uruguai. O defensor não foi advertido pelo árbitro, mas ainda pode ser punido pela Conmebol.

"Entendo perfeitamente a reação dele. O invasor usava uma máscara, isso gera um temor. Esperamos que não haja punição, porque ele se sentiu agredido e só queria ajudar o pessoal da segurança", argumentou. EFE

Mais Esporte