PUBLICIDADE
Topo

Partida envolvendo time de Ronaldo é investigada por suposta manipulação

Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid, foi um dos detidos hoje - EFE
Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid, foi um dos detidos hoje Imagem: EFE

28/05/2019 15h08

Uma partida entre Valladolid, time presidido pelo brasileiro Ronaldo, e Valencia está sendo investigada como parte de uma operação da Polícia Nacional da Espanha contra a suposta manipulação de resultados na primeira e na segunda divisões do futebol espanhol, na qual alguns jogadores foram detidos hoje (28).

Segundo fontes próximas à investigação, esse duelo foi um dos possíveis envolvidos no escândalo. Também está sendo apurada uma partida entre Huesca e Gimnàstic de Tarragona, além de outra entre equipes que não foram reveladas.

No dia 18 de maio, data da 38ª e última rodada do Campeonato Espanhol, o Valencia venceu o Valladolid por 2 a 0 fora de casa, no estádio José Zorrilla.

Com a vitória, o time visitante conquistou uma vaga próxima edição da Liga dos Campeões, por terminar o torneio nacional na quarta posição, com dois pontos a mais que o Getafe, quinto colocado, que se classificou para a Liga Europa.

A Polícia Nacional iniciou nesta manhã uma operação com 11 mandados de captura. De acordo com as investigações, o esquema de manipulação consistia em selecionar os jogos, captar jogadores e pagá-los antecipadamente em dinheiro para que perdessem.

Dessa forma, era possível fazer apostas combinadas - resultado final e resultado do primeiro tempo, resultado final e número de escanteios, por exemplo - e lucrar com apostas.

Entre os já detidos, segundo as fontes, estão vários jogadores, entre eles o zagueiro Raúl Bravo, ex-Real Madrid, e o volante Borja Fernández, que jogou as duas últimas temporadas pelo Real Valladolid e se aposentou.

Também foram detidos Carlos Aranda, ex-jogador de vários clubes de primeira divisão; Íñigo López, zagueiro do Deportivo La Coruña; Agustín Lasaosa, presidente do Huesca; e Juan Carlos Galindo Lanuza, chefe do departamento médico do mesmo clube.

As fontes detalharam à Agência EFE que estão previstas 11 detenções e que os agentes da Unidade de Criminalidade Especializada e Violenta (UDEV) já iniciaram várias batidas, uma delas na sede do Huesca.

Essa operação policial foi originada em uma denúncia da La Liga em maio de 2018 sobre supostas irregularidades detectadas em uma partida entre Huesca e Gimnàstic de Tarragona, que pode ter sido influenciada por apostas esportivas.