PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Anderson Silva rebate Ronaldo 'Jacaré': "Já comprei brigas dele no UFC"

Buda Mendes/Getty Images
Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Amanda Lourenço, em Los Angeles (EUA)

Ag. Fight

17/12/2018 17h29

Amigos e ex-parceiros de treino, Anderson Silva e Ronaldo 'Jacaré' não parecem estar mais em sintonia. Enquanto atravessam momentos opostos na carreira, os lutadores miram o mesmo objetivo: uma chance de lutar pelo cinturão dos médios (84 kg) do UFC. E o clima entre eles parece não ter suportado a proximidade na luta pelo topo da categoria - chance que pode ser a última para ambos.

Se na última semana Jacaré questionou publicamente a chance prometida por Dana White a 'Spider' de disputar o título em caso de vitória contra Israel Adesanya em fevereiro, neste segunda (17), durante coletiva de imprensa realizada em sua academia, em Los Angeles (EUA), Anderson não deixou por menos e rebateu a postura do compatriota.

"Confesso que fiquei um pouco surpreso. Sempre dei todo o suporte para o Jacaré, inclusive quando ele chegou na academia. Recebi muito bem, sempre tive do lado e sempre defendi, toda vez que ele lutou, para que ele disputasse o cinturão. Acho que foi infeliz no comentário, mas algumas coisas a gente não tem como controlar. Tenho controle sobre minhas ações, sobre o que eu falo", narrou quando questionado pela reportagem da Ag. Fight.

Irritado com a chance de ser passado para trás na fila, Jacaré, atual número três do ranking oficial do UFC, chegou a ironizar o modo como o evento lida com esse tipo de situação. Para isso, o atleta afirmou que poderia "se dopar e falar m..." para chamar a atenção e assim garantir sua vez.

A mensagem, no entanto, incomodou o ex-campeão. Flagrado em uma exame antidoping que lhe garantiu a segunda suspensão na carreira, Anderson pareceu incomodado com a forma como Jacaré se referiu ao seu caso e revelou que chegou a "comprar brigas" com o UFC para defender o ex-parceiro de treinos nos bastidores da organização.

"Todos sabem da minha história nesse esporte, o quanto eu trabalhei duro para continuar a fazer o que eu faço. Achei um pouco prematuro da parte dele, até porque eu sempre dei todas as forças que ele precisava. Até já comprei algumas brigas dele dentro do UFC, e ele não sabe disso. Quando estava para disputar o cinturão, o Ed (Soares, empresário de Anderson) brigou comigo porque eu bati de frente com o Dana (White) porque não achava justo. Mas, enfim, cada um sabe o que faz", revelou.

Aos 43 anos, Anderson terminou de cumprir a suspensão pelo flagra em um exame antidoping no final de 2018. Com duelo marcado para o UFC 234, na Austrália, o brasileiro, caso vença, tem a chance de disputar o título prometida por Dana White, presidente da organização. Ex-campeão do UFC e dono de alguns dos principais recordes da companhia, o curitibano não luta desde fevereiro de 2017.

Esporte