PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Vicente Luque encara estreante e vê ranqueados fugirem: "Só querem lutar entre si"

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

26/09/2018 06h00

Pouco conhecido quando chegou ao UFC, Vicente Luque mudou de patamar desde que passou a subir no octógono. Com seis vitórias e só uma derrota em três anos, o meio-médio (77 kg) ganhou todas as suas lutas por nocaute ou finalização dentro da organização e vem de dois triunfos consecutivos: um contra o perigoso Niko Price e outro contra o vencedor do 'TUF Nations', Chad Laprise. Diante deste currículo, muitos lutadores têm se recusado a enfrentá-lo ? conforme revelou Luque à Ag. Fight, em entrevista exclusiva.

O brasileiro de origem chilena explicou a razão pela qual só no último sábado foi anunciado o seu duelo contra Jalin Turner no UFC 229, em 6 de outubro. De acordo com Vicente, já havia negociações para que ele estivesse no evento, mas o Ultimate não vinha conseguindo encontrar um rival disposto a encará-lo na data.

"Não foi uma surpresa para mim, porque eu e meu empresário já estávamos conversando com o UFC para lutar exatamente neste evento de 6 de outubro ou algo no mesmo mês. Eu já estava mirando esse evento, estava treinando com essa ideia e a gente estava tentando fechar adversário, mas não estava conseguindo. Então, esse foi o adversário que acabou aceitando, no sábado agora, e por isso fechou essa luta", falou, ressaltando que estar em um evento com tanta visibilidade quanto o UFC 229, estrelado pela disputa do cinturão leve (70 kg) entre Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor acaba por compensar o fato de encarar um estreante.

Segundo Luque, há um curioso movimento por parte dos integrantes do top 15 dos meio-médios: por causa do risco de deixar a listagem, a maioria dos atletas evita ao máximo enfrentar adversários não ranqueados. E esta situação afeta diretamente aqueles que vêm em crescimento, como o brasiliense.

"Venho mostrando nas minhas lutas que tenho tanto talento em pé como no chão, então me sinto confortável em qualquer área. E acho que eles estão tendo dificuldade em encontrar adversário para mim porque os ranqueados querem lutar só dentro do ranking, então fica difícil. E aqueles caras que estão com um pouco mais de nome não querem lutar", contou à Ag. Fight.

O lutador da Cerrado MMA também analisou o estilo de jogo de Turner, que foi contratado pelo Ultimate após nocautear Max Mustaki na mais recente temporada do 'Contender Series'. Segundo Luque, exceto pela base ? um é canhoto e o outro é destro ? há muitas semelhanças entre o jogo de Jalin e o de Niko Price, a quem finalizou no ano passado.

"Ele é um cara bem grande, longo, que usa a trocação mais na distância, gosta de joelhada, de manter a distância com a mão, com chutes, e tem algumas armas no chão. Acho que ele é um cara completo, mas acredito que vá querer trocar. E, para mim, é um jogo muito bom, porque eu também procuro trocar. Ele é canhoto, o que é um pouco diferente dos adversários que eu venho enfrentando, mas estou treinando para isso. Tem vários canhotos aqui na academia, então acho que é um jogo que encaixa bem", declarou.

Devido ao fato de que a negociação para estar no UFC 229 já vinha sendo conduzida, Vicente disse se considerar em boas condições físicas e técnicas para o duelo, que acontece daqui a apenas dez dias. O brasileiro, que já ganhou dois prêmios de 'Performance da Noite' no Ultimate, afirmou bem inclusive com o peso.

"Como eu já estava com a intenção de lutar em outubro, eu vinha mantendo os treinamentos em um ritmo bom. A preparação física estava mais puxada, e também vim mantendo o peso baixo. Então, não vou ter problema nenhum em relação a peso. E o treinamento tem sido muito bom nessas semanas anteriores. Antes de marcar a luta, eu já vinha tendo uma evolução tanto técnica quanto física, e agora é só então é só dar uma intensificada nesta semana e, na próxima, focar no corte de peso", analisou.

Jalin Turner, adversário de Luque, tem apenas 23 anos. O lutador chegou a ter um cartel de 2-2, mas desde 2017, obteve cinco vitórias e apenas uma derrota, evoluindo sua bagagem para sete triunfos e três derrotas. Vicente, por sua vez, já ganhou 13 duelos, perdeu seis e obteve um empate.

Esporte