PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Atleta que desmaiou na piscina está bem e poderá competir no Mundial

Anita Alvarez, dos EUA, passou mal durante prova do nado sincronizado no Mundial de Esportes Aquáticos - Dean Mouhtaropoulos/Getty Images
Anita Alvarez, dos EUA, passou mal durante prova do nado sincronizado no Mundial de Esportes Aquáticos Imagem: Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

23/06/2022 17h07

A nadadora da equipe do nado sincronizado americana Anita Alvarez, que foi retirada do fundo da piscina por sua treinadora espanhola Andrea Fuentes após desmaiar, ainda não decidiu se retornará à piscina para sua prova final, anunciou hoje a equipe.

Quatro vezes medalhista olímpica, Fuentes pulou na piscina para resgatar Anita, que descia até o fundo e sem respirar depois de terminar sua rotina durante a final do solo livre.

"Anita está bem e tirando o dia para descansar. Ela foi avaliada pelo médico da equipe e pelos serviços médicos da competição. Ainda falta um teste no Mundial de 2022 e decidirá se ela se sente bem para competir amanhã, se receber autorização médica", disse Alyssa Jacobs, porta-voz da equipe.

Álvarez, uma nadadora de 25 anos de origem mexicana, integra a equipe dos Estados Unidos para a final de exercício livre de sexta-feira.

"Isso já aconteceu com ela uma vez no ano passado, no torneio de classificação olímpica, competindo com sua dupla", disse Jacobs. "Antes disso, teve problemas esporádicos com desmaios, mas nunca em competição".

"Foi um bom susto, tive que mergulhar porque os salva-vidas não o faziam", disse o técnico ao jornal espanhol Marca.

Fuentes pulou na piscina de calça e camiseta, mergulhou no fundo e puxou Alvarez para a superfície antes de obter ajuda para tirá-la da água.

"Fiquei assustada porque vi que ela não estava respirando, mas já está muito bem, a todo vapor", disse a espanhola.

Diante das dúvidas sobre a atuação dos salva-vidas, Bela Merkely, responsável pelo serviço médico da competição, esclareceu em comunicado que "as regras sob as quais os socorristas podem intervir são muito rígidas".

Em tal situação, apenas os juízes da Federação Internacional podem decidir interromper a competição para uma intervenção, e "nenhum sinal foi dado nesse sentido", continuou Merkely.

"Depois que a treinadora pulou na piscina por sua conta e risco, os salva-vidas locais, sentindo o perigo, não esperaram o sinal do juiz e decidiram intervir imediatamente, o que fez com que a participante americana saísse da piscina com sua ajuda", concluiu.

A nadadora americana foi "imediatamente atendida por uma equipe médica", confirmou a Federação Internacional de Natação (FINA).

A equipe de natação dos Estados Unidos informou mais tarde em um comunicado que a nadadora estava bem.

Fuentes explicou às rádios espanholas que a nadadora desmaiou devido ao esforço demonstrado durante sua rotina.

"Não vou esquecer, não tive muitas experiências assim. Foi um grande susto, embora não seja a primeira vez que acontece com ela. Ela é uma atleta que gosta de ir ao limite, mas hoje ela passou de todos os limites. Eu disse a ela para não fazer mais isso", declarou na Cadena Ser na quarta-feira.

"Acho que ela ficou pelo menos dois minutos sem respirar porque seus pulmões estavam cheios de água, mas conseguimos levá-la para um bom lugar, ela vomitou a água, tossiu e pronto", disse ela à rádio Rac1.

"Tentei acordá-la dando um tapa nela e abrindo sua mandíbula", acrescentou à estação Cope.

Este é o terceiro Mundial da atleta norte-americana, que também havia desmaiado durante as eliminatórias para os Jogos Olímpicos em Barcelona no ano passado.

Esporte