PUBLICIDADE
Topo

Fifa pede à Justiça que continue investigando ex-presidente Joseph Blatter

Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, em foto de abril de 2019 - Jamil Chade/UOL
Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, em foto de abril de 2019 Imagem: Jamil Chade/UOL

De Genebra (Suíça)

02/05/2020 15h43

A Fifa solicitou ao Ministério Público suíço (MPS) que continue investigando os contratos assinados pelo ex-presidente da entidade Joseph Blatter com a União Caribenha de Futebol, apesar da já declarada intenção do MP de encerrar o caso.

"Apresentamos observações oficiais ao Ministério Público solicitando uma continuação das investigações", anunciou a entidade em comunicado, confirmando uma informação publicada pelo jornal francês "Le Monde", que citava uma "guerra judicial" entre a Fifa e Blatter.

"De fato, a Fifa reflete sobre todas as opções legais que permitam garantir que as pessoas envolvidas sejam responsabilizadas", completa a entidade.

Um relatório policial obtido na última quarta (29) pela agência de notícias France Press informa que as suspeitas de "gestão desleal" contra Sepp Blatter "estavam bem fundamentadas", apesar do MPS decidir encerrar o caso.

O MPS suspeitava que Blatter havia assinado um "contrato desfavorável para a Fifa" com a União Caribenha de Futebol (CFU), na época presidida pelo trinitino-tobaguense Jack Warner, banido à vida da Fifa e julgado pela justiça americana por corrupção.

Esse contrato, rescindido em 2011, se referia aos direitos de televisão das Copas do Mundo de 2010 e 2014 e valia US$ 600 mil, considerado abaixo do valor de mercado do produto.

Como consequência da "inércia do senhor Blatter contra a CFU ou contra o senhor Warner, a Fifa sofreu um prejuízo no valor de US$ 3,78 milhões", garantia o relatório.

O MP suíço confirmou no início de abril que não tinha a intenção de dar sequência às ações penais contra o ex-presidente da Fifa, de 84 anos.

Esporte