PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Comer muito e mais: o que surfistas fazem quando não tem onda em Saquarema

Tatiana Weston-Webb, durante etapa de Saquarema do Circuito Mundial de Surfe - Thiago Diz/World Surf League
Tatiana Weston-Webb, durante etapa de Saquarema do Circuito Mundial de Surfe Imagem: Thiago Diz/World Surf League

Gustavo Setti

Do UOL, em Saquarema (RJ)

25/06/2022 14h00

Depois de dois dias seguidos com baterias na água, hoje foi decretado o primeiro dia sem competição na etapa de Saquarema do Circuito Mundial de Surfe por conta da falta de boas ondas na praia de Itaúna. Mas o que os surfistas fazem quando não rola o campeonato? Eles surfam, na medida do possível, e aproveitam o tempo livre de diferentes formas.

Na manhã de hoje, o UOL Esporte conversou com alguns surfistas que, mesmo com as ondas pequenas, caíram na água para treinar e testar pranchas. A brasileira Tatiana Weston-Webb foi uma das atletas. E ela mostrou o lado sincerona ao falar sobre o que gosta de fazer nos dias sem competição.

"Além de surfar, eu gosto de comer bastante (risos). Eu leio um livro, fico com meus amigos e amigas", disse Tati, que está classificada à semifinal da chave feminina em Saquarema. Ela enfrentará a pentacampeã mundial Carissa Moore em busca de uma vaga na final.

"Eu estou realmente concentrando em mim, no meu surfe, o que posso fazer durante a bateria e espero que tenham boas ondas", afirmou Tati.

O peruano Miguel Tadula, que enfrentará Filipe Toledo, líder do ranking mundial, nas oitavas de final do masculino, gosta de ficar na boa.

"A verdade é que depende de cada um, mas eu gosto muito de descansar, relaxar, faço alongamento, ficar tranquilo no quarto, focado na missão. Gosto também de sair para comer algo bom e conhecer alguma coisa, mas o maior tempo fico no hotel, tranquilo, relaxando um pouco para a próxima bateria", explicou.

Itaúna - Thiago Diz/World Surf League - Thiago Diz/World Surf League
Praia de Itaúna, em Saquarema, durante dia sem competição da etapa do Circuito Mundial de Surfe
Imagem: Thiago Diz/World Surf League

O brasileiro Yago Dora falou que os surfistas também tentam fazer turismo se já não conhecem a cidade que recebe o campeonato. Mas o importante, mesmo, é se manter ativo.

"Aqui [em Saquarema] a gente já conhece, mas, geralmente, em lugar que estamos conhecendo pela primeira vez, tentamos fazer algum passeio em algum lugar turístico da cidade, além, claro, de tentar surfar se achar algum pico onde as ondas estejam boas, comer em algum restaurante e também tentar ficar ativo", contou Yago, que terá o australiano Ethan Ewing pela frente nas oitavas.

"A gente não pode nunca desligar o botão. Mesmo no day off [sem competição], tem que fazer um surfisinho, se exercitar e ficar preparado para o próximo dia."

A próxima chamada da etapa de Saquarema do Circuito Mundial de Surfe é amanhã, às 7h15 (de Brasília).

Esporte