PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: 'Resultado na Espanha mostra que Mercedes encontrou caminho'

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 04h00

Após um início de temporada ruim, a Mercedes dá sinais de recuperação. No GP da Espanha deste domingo (22), a escuderia alemã viu George Russell subir ao pódio após terminar a corrida em terceiro lugar. Lewis Hamilton, que fez uma corrida de recuperação após se envolver em um toque com Kevin Magnussen logo após a largada, ficou em quinto.

Na Live F1 do Seixas e do Flavio, transmitida pelo UOL Esporte logo após as corridas da Fórmula 1, os jornalistas Fábio Seixas e Flavio Gomes debateram sobre a aparente volta por cima da Mercedes, e se é possível esperar um crescimento de Russell e Hamilton na temporada.

"O incidente com o Magnussen foi normalíssimo. Furou o pneu e voltou na última posição. Pelo rádio, ele sugeriu abandonar a corrida. A Mercedes não aceitou e, com isso, o Hamilton fez uma grande corrida. A lição que fica deste GP da Espanha para a Mercedes é que, realmente, o carro melhorou bem. O quinto lugar do Hamilton poderia ser um quarto, não fosse o vazamento de água na última volta. Isso mostra que, pelo menos, a Mercedes encontrou um caminho", comentou Gomes.

Seixas destacou que a equipe alemã resolveu um dos principais problemas do carro, que 'quicava' demais na pista. "Essa atitude do Hamilton no começo da prova foi um anticlímax. Desde sexta-feira, a Mercedes vinha mostrando bons resultados. O carro não pula mais. É visível. O carro da Mercedes era um tormento. O Russell dizia que 99% dos problemas do carro eram pelo porpoising [trepidação]. Em Barcelona, os carros da Mercedes entravam na reta e não balançavam mais. A equipe resolveu isso", explicou o colunista do UOL.

A melhora dos carros da Mercedes foi tamanha que Seixas não descartou a possibilidade de Hamilton ter brigado pela vitória se não tivesse enfrentado problemas logo no começo da corrida. "Ficou uma pulguinha atrás da orelha. Com o Hamilton caindo para as últimas posições e chegando em quinto, e só não foi o quarto por conta do problema de vazamento de água no fim da prova, será que ele não venceria a prova? Foi mais ou menos o que ele fez em Interlagos [em 2021], quando largou lá atrás, fez uma prova de recuperação e ganhou. Hoje [ontem], era um dia daqueles do Hamilton. Ele estava possuído. Era um dia para ele pensar em vitória, por isso estava tão abalado no meio da prova", disse.

Gomes adotou um tom cauteloso ao falar sobre a chance de a Mercedes desbancar a Ferrari e se tornar a principal concorrente da Red Bull na temporada. "O Russell foi terceiro colocado com o mesmo número de paradas do que o Verstappen: três pit stops. Mas ele chegou quase 33 segundos atrás. Estamos recolocando a Mercedes na brincadeira, mas ainda tem meio minuto em uma corrida de uma hora e meia. A diferença ainda é grande", ponderou.

A escuderia alemã, na visão de Gomes, agora tem como missão recuperar o tempo perdido e reduzir a distância para a Red Bull. "A Mercedes encontrou um caminho. Descobriu o que estava tirando o sono de todos os seus engenheiros e dos seus pilotos. Mas a diferença de velocidade e de performance para a Red Bull ainda é grande. Agora, a Mercedes vai poder começar a desenvolver o carro. Até agora, brigou contra o quicar do carro. Resolvido isto, a equipe entra em um ritmo de desenvolvimento do carro mais normal, o que pode levá-la a brigar com a Red Bull em algumas corridas", completou o colunista do UOL.

Não perca! A próxima edição da Live F1 do Seixas e do Flavio será logo após o GP de Mônaco, em 29 de maio. Você pode acompanhar o programa pelo Canal UOL, no canal do UOL Esporte no Youtube e pelas redes sociais do UOL.

Fórmula 1