PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após conquista do primeiro título como técnico, Paulo Baier projeta carreira na nova profissão

17/11/2018 13h49

Depois de longeva carreira como jogador de futebol, o ex-meio campista Paulo Baier começou a se aventurar na carreira como treinador no ano passado e teve seu primeiro sucesso neste ano. Aos 44 anos, o gaúcho de Ijuí comandou o Esporte Clube Próspera na conquista do título da série C do Campeonato Catarinense. O LANCE! conversou com o ex-atleta, que falou um pouco sobre a jornada como atleta e a nova empreitada como técnico.

Aposentado dos gramados em junho de 2016, quando jogou sua última partida profissional pelo São Luiz (RS), Paulo Baier assumiu a primeira equipe profissional só no fim de 2017. O ex-jogador fechou com o Toledo (PR) para o cargo de treinador em dezembro do ano passado para a disputa do Estadual desta temporada. Com poucos meses no comando, Baier levou à equipe às quartas de final do Campeonato Paranaense e depois deixou o clube.

No segundo semestre deste ano, o ex-atleta recebeu o convite do Próspera para comandar a equipe em busca do acesso para a segunda divisão do Campeonato Catarinense. Pouco mais de dois meses após assumir a equipe, Paulo Baier fez uma boa campanha com time local, foi segundo colocado na fase de grupos do torneio e venceu o Itajaí nas finais da competição, carimbando vaga para a série B do Estadual. O comandante comemorou o título:

- É muito importante pra mim esse título. É apenas o meu segundo trabalho como técnico e já consegui conquistar um campeonato. Isso só mostra que o trabalho está sendo bem feito e que estou no caminho certo. O pensamento agora é manter o bom desempenho pra crescer na prateleira dos técnicos no Brasil. - disse Paulo Baier, que complementou falando que preferiu começar a carreira devagar, mas tem objetivo de chagar aos grandes clubes.

- Eu optei por começar a carreira como técnico por baixo, devagar, mas é lógico que a gente espera chegar em clubes maiores, principalmente naqueles pelos quais joguei quando atleta. É tudo uma questão de planejamento, vou de pouco em pouco e quando chegar nesses grandes clubes, quero deixar um bom trabalho, com continuidade e não ficar só dois, três meses no cargo, como acontece muito no Brasil. - emendou o treinador.

Durante os 21 anos de carreira como profissional, Paulo Baier marcou época pelas equipes que passou. Em 1995, o jogador se tornou pela mesma equipe pela qual encerrou a carreira; o São Luiz. Com toda trajetória realizada no futebol nacional, o meia, que também jogou no início da carreira como lateral, passou por diversos clubes, como Atlético-MG, Vasco, Palmeiras, América-MG e Sport, mas os clubes que teve maior destaque foram Atlético-PR, Criciúma e Goiás.

- Minha carreira foi feita por muitos momentos bons, não consigo destacar um só que tenha sido mais especial que os outros. Mas alguns são muito importantes, como a ida à Libertadores, e o vice da Copa do Brasil com o Atlético-PR. No Goiás, Criciúma e Palmeiras também tiveram muitos momentos legais. Acho que sempre me destaquei pelos clubes que joguei e quem sabe um dia eu possa voltar para eles, mas agora na beira do campo. - falou Baier.

Ao longo da jornada como atleta o agora treinador conquistou alguns títulos, como o Estadual e a série B pelo Criciúma, o Torneio Rio-São Paulo pelo Vasco em 1999, um Mineiro pelo América e um Pernambucano pelo Sport. No entanto, uma das maiores marcas da carreira foi se tornar o maior artilheiro do Brasileirão na era dos pontos corridos, título que ficou com Baier durante oito anos até 2015, quando foi superado pelo atacante Fred.

A medida que sua carreira como jogador começou a chegar ao fim, Paulo Baier foi alvo de algumas brincadeiras com relação a sua idade na internet. Com uma trajetória longeva, o atleta "sofria" com alguns memes que os internautas faziam. No entanto, o ex-jogador disse que nunca se incomodou com o fato e disse inclusive, que gostava das brincadeiras, que segundo ele deixavam seu nome sempre na mídia.

- As brincadeiras dentro do respeito são sempre bem-vindas. Quanto mais falado o cara, mais as pessoas lembram dele. É que nem aquela frase né: "falem bem ou falem mal, mas falem de mim" (risos). Então, eu acho que quanto mais se falar do Paulo Baier, mais vou ser lembrado. São 21 anos de carreira que ficaram marcados no cenário brasileiro. - disse o treinador, que finalizou falando sobre as conquistas como jogador e disse estar focado na nova fase da vida.

- A marca de segundo maior artilheiro do Campeonato me orgulha muito. Fiquei por oito anos no topo da lista, estou entre os dez maiores artilheiros do Brasil, mesmo atuando por anos na lateral. Torci pro Fred ir embora, mas ele ficou e me passou, né (risos). Mas o importante é o legado e a história que deixei no futebol nacional. Agora o foco é na carreira como técnico, ainda mais motivado agora depois da conquista. - encerrou o comandante, que agora espera por um novo convite para treinar alguma equipe.

*Sob supervisão de Jonas Moura

Esporte