PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Perto do ideal, Anderson Martins diz que vai evoluir naturalmente

31/08/2017 15h14

Principal contratação do Vasco para o Brasileirão, Anderson Martins disputou apenas duas partidas após o seu retorno ao clube, mas já animou os torcedores, muito por conta da boa atuação contra o Fluminense. E a tendência é melhorar. O zagueiro disse que está perto de alcançar o seu ritmo ideal e acredita que vai evoluir de forma natural.

- Não estou longe (do ideal). Jogador só pega ritmo jogando. Fiz dois jogos, no último pude me portar muito bem dentro das exigências que foi a partida. No dia a dia você vai ganhando condição. Hoje posso dizer que já consigo acompanhar o ritmo e a evolução vai vir naturalmente - disse o zagueiro, em entrevista coletiva após o treino desta quinta-feira.

O defensor credita o fato de render bem em campo tão rápido ao tempo que teve de preparação. Contrato em julho, o jogador passou mais de 20 dias apenas treinando antes de fazer sua estreia.

- Hoje você não consegue fazer nada sem uma boa preparação, a gente não pode queimar etapas. Quando eu cheguei, falei que precisava de um tempo. A comissão e o Caprees entenderam que eu precisava de um trabalho específico. Até para suportar essa carga de jogos do Campeonato Brasileiro. A gente sabe do desgaste que tem e se não tiver bem preparado, acaba sentindo. E meu pensamento era que no momento que fosse solicitado, estar correspondendo a expectativa que foi criada. Não queria de nenhuma forma voltar a antes do tempo e não ficar até o fim do campeonato. Fico feliz que eles tenham entendido esse meu pedido para preparação e hoje me sinto bem melhor e espero evoluir com essa sequência de jogos - contou o zagueiro.

Contra o Flu, Anderson formou boa dupla de zaga com Breno, passando segurança. Questionado se estaria se formando uma nova parceria de sucesso na defesa assim como foi com Dedé em 2011, o zagueiro preferiu destacar que o papel de defender precisa ser compartilhado por todos da equipe.

- Nosso trabalho é passar segurança para equipe. Nosso trabalho precisa ser feito em conjunto, gosto de frisar isso. Porque a gente não defende só, defende com todos os jogadores em campo. A gente precisa trabalhar forte, sabe da necessidade que o Vasco tem de conseguir uma estabilidade defensiva, e dar um suporte para o pessoal da frente fazer os gols. Se a gente puder caminhar dessa forma, vai ser bom para todos.

Esporte