PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #141: Torcida do Fla x Ceni, Palmeiras líder e Copa América

Do UOL, em São Paulo

09/07/2021 13h19

Classificação e Jogos

O Flamengo sofreu sua quarta derrota em oito jogos no Campeonato Brasileiro e a pressão sobre o técnico Rogério Ceni aumentou, com críticas da torcida e pichação em muro do CT, com alguns dos principais adversários se distanciando na disputa pelo título, ainda que o rubro-negro tenha jogos por fazer que podem deixá-lo mais próximo na classificação.

No podcast Posse de Bola #141, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a situação de Rogério Ceni, a pressão da torcida e o saudosismo que ainda se tem no Flamengo pelo time que foi dominante em 2019, ainda que as peças já não sejam todas as mesmas e o cenário tenha mudado com uma série de fatores no futebol brasileiro, incluindo os desfalques causados pela Copa América.

Mauro Cezar lembra que mesmo no período de Jorge Jesus, quando aconteceram os tropeços no início de trabalho, já havia quem criticasse o técnico português e aponta que o sucesso daquele time aconteceu muito por conta dos métodos do então treinador do time, que blindou a equipe no CT e depois levou o que construiu embora quando decidiu retornar ao Benfica.

"Dirigente não entrava no CT, ninguém pisava lá dentro. Então o Jorge Jesus mudou completamente e isso tudo acabou quando o Jesus foi embora. A diretoria do Flamengo, tem uns que pedem o Mauricio técnico, ele foi quem ficou com o time entre a saída do Jesus, que aliás, eu achei que saiu de uma forma que não foi legal, ele poderia ter deixado aqui um ou dois auxiliares para ter pelo menos atividade, ele pegou todo mundo, meteu na van e foi embora, os protocolos, levou tudo, não ficou nada no Flamengo, os procedimentos, nada ficou, tudo dele", diz Mauro.

"Acabou 2019, amigo, não tem mais. 2019 e o primeiro de semestre de 2020 não existem mais, porque quem criou aquilo ali não foi o Flamengo, foi o Jorge Jesus, que botou ordem na casa, blindou o CT, afastou quem ele não conhecia e quem não tem competência e botou o time dele", completa.

Contratação de europeu com nível de Jesus hoje será inviável

O jornalista também aponta como dificuldade para a possibilidade de saída do técnico Rogério Ceni a questão financeira, considerando os custos que teria uma rescisão, lembrando que já saiu caro com o antecessor Domènec Torrent, além do fato de o salário de um técnico europeu do nível de Jorge Jesus ser distante da realidade brasileira devido ao valor atual do euro.

"Quando o Jesus chegou no Flamengo, ele chegou com moral que você não vai ver em nenhum outro técnico, porque o Flamengo não terá condições de contratar um técnico desse tamanho, porque o euro bate lá R$ 6 e cacetada já há um tempão. Agora baixou um pouquinho, mas está perto dos R$ 6, então é inviável você trazer um técnico desse nível para cima europeu", explica.

"O Palmeiras tem o Abel Ferreira, que treinava o PAOK e antes treinava o Braga, é um técnico de um patamar bem abaixo do Jorge Jesus, não tem o currículo do Jorge Jesus. Senão o Palmeiras dificilmente conseguiria contratar. O custo do Abel Ferreira obviamente não é o do Jorge Jesus e muito menos esses nomes malucos que o pessoal sugere, como Leonardo Jardim. Outros sugerem o Villas-Boas, está legal, prepare os 8 milhões de euros por ano, por aí, é pouco dinheiro, né, dá para pagar um técnico, fora a equipe dele", completa.

Técnico não é o único culpado pelo mau momento

Mauro também afirma que a torcida erra quando joga toda a culpa pela má fase do Flamengo nas costas do técnico Rogério Ceni, ressaltando que há um contexto de desfalques, contratações que não corresponderam, além de a cobrança em relação a dirigentes e atletas não ser a mesma.

"Foi o centro de inteligência que sugeriu o Bruno Viana? Nada contra o rapaz, o Bruno Viana tem condição do jogar no Flamengo? Não demonstra. Então por que o Rogério Ceni escalou? Boa pergunta. Quais são as opções? Gustavo Henrique, a torcida ama o Gustavo Henrique, não é? Léo Pereira, se colocar vai ter passeata, os caras detestam. Qual é a solução? Não estou aqui dizendo que o Rogério não tenha culpa. Se ele é o técnico, ele tem culpa quando vai mal, como outros também têm, e tem méritos quando vai bem, quando o trabalho dele está sendo bem feito. Ele participa de tudo, ele é um dos responsáveis", diz Mauro.

"Enquanto a torcida bate no Ceni de uma maneira burra, os dirigentes não são questionados, os jogadores, para eles está bom também, eles entram em campo, fazem uma partida ridícula como o segundo tempo contra o Atlético-MG e só se fala do técnico, como se eles fossem bonequinhos de vídeo game, não são, são seres humanos em campo cometendo erros, vários erros. Então, para todo mundo é conveniente, deixa o Judas apanhar que para mim está bom, da diretoria aos jogadores. E quem está sofrendo com isso é o Flamengo, é óbvio", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL