PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #133: Flamengo tenta parar Brasileirão durante a Copa América

Do UOL, em São Paulo

11/06/2021 13h16

Classificação e Jogos

Desfalcado de jogadores importantes devido à realização da Copa América, o Flamengo decidiu acionar o STJD para buscar a paralisação do Campeonato Brasileiro, como ocorreu durante a edição de 2019 da competição sul-americana sob a alegação da isonomia, já que não terá Arrascaeta, Everton Ribeiro, Gabigol e Isla por estarem com suas seleções, algo que também ocorre com outros clubes, como Atlético-MG e Palmeiras.

No podcast Posse de Bola #133, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a tentativa do Flamengo de parar a competição, ainda que isso possa fazer com que o Campeonato Brasileiro invada o ano de 2022 nas rodadas finais.

Para Arnaldo Ribeiro, a posição do Flamengo é contraditória, já que o clube sabia da possibilidade de não contar com seus jogadores quando assinou o regulamento da competição e o calendário que não previa a interrupção do Campeonato Brasileiro durante a Copa América, tal qual nas datas Fifa, nas quais o clube também perdeu jogadores e teve jogos adiados pela CBF por isso.

"A questão de se colocar contra a CBF, qualquer clube, o Flamengo como o mais popular do país, tem que ser colocado no momento em que isso está sendo formatado. O Flamengo teve duas oportunidades para fazer isso: durante a elaboração do calendário, em que os clubes foram consultados, durante o conselho técnico do Brasileirão, em que os clubes foram consultados. O Flamengo e sua diretoria sabiam e assinaram lá atrás que durante a Copa América, seja na Argentina, na Colômbia, no Brasil, o Campeonato Brasileiro teria andamento", afirma Arnaldo.

"Está lá a assinatura do Flamengo nisso aí lá atrás. Agora tem, digamos, um requinte, que é a questão do Maracanã, o campo que o Flamengo usa vai ser utilizado em algumas semanas, e tem o requinte que é a convocação de mais de um jogador do Flamengo, dois, Everton Ribeiro e Gabigol. Que a seleção chilena iria convocar o Isla, que a seleção uruguaia iria convocar o Arrascaeta, que iria acontecer tudo isso, a diretoria do Flamengo sabe desde que assinou o regulamento da competição e o calendário nacional", completa.

O jornalista questiona a alegação de isonomia e afirma que a direção atual do Flamengo nunca prezou por isso, incluindo o momento de negociações para a volta do futebol e a realização de treinos enquanto outros clubes estavam sem atividades nos primeiros meses da pandemia.

"Agora o calo apertou mais ainda porque o Flamengo está sem grana para investir, porque o Flamengo vendeu o Gerson e porque o Flamengo está numa situação mais frágil dentro de campo que esteve desde que começou esse timaço. A alegação de isonomia, essa diretoria do Flamengo nunca prezou pela isonomia, pelo contrário, é o egoísmo puro, a autossuficiência e não tem isonomia nenhuma em quem governa o Flamengo, nunca teve essa palavra. É uma atitude conveniente para o momento e ela deveria ter sido tomada lá atrás", afirma Arnaldo.

"É uma atitude meramente conveniente e ir ao STJD buscar os direitos, a gente tem que falar sério, como a gente sempre fala quando acontece isso, o Flamengo está indo ao tapetão melar o campeonato, não tem outra diferença. O Flamengo está indo ao tapetão melar o campeonato, basicamente é isso o que está acontecendo, aproveitando um momento de fragilidade da CBF. A visita do Flamengo à CBF não adiantou para paralisar o campeonato, mas nas convocações da seleção olímpica e brasileira para esta Data Fifa que acabou, o Flamengo foi o único time que teve jogos adiados pela Copa do Brasil e Brasileiro, o resto jogou", completa.

Além de reforçar que a busca ao STJD é um apelo ao tapetão, Arnaldo afirma que não convence a postura de agora o Flamengo se colocar como o clube que vai peitar a CBF.

"É uma cascata, o Flamengo está indo ao tapetão. Ponto. Assuma as consequências publicamente. Esse negócio de 'sou o clube que vai peitar a CBF' é conversa para boi dormir. Agora? Depois de jogado o meio da temporada toda? Com assinatura lá no início da competição? É muita facilidade", conclui.

O programa também analisa as eliminações de Palmeiras e Corinthians na Copa do Brasil, e o clássico entre eles amanhã, pelo Campeonato Brasileiro, o avanço do São Paulo, o Fortaleza se saindo bem com o técnico argentino Juan Pablo Vojvoda, enquanto o Internacional tem crise com Miguel Ángel Ramírez com a derrota de ontem para o Vitória que custou a vaga nas oitavas de final da copa nacional, além do bom desempenho dos clubes nordestinos na competição.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL