PUBLICIDADE
Topo

Francês - 2019/2020

Cavani vive jornada humilhante no PSG, mas ainda é respaldado por torcida

Cavani assiste do banco a partida do PSG contra o Nantes pelo Campeonato Francês - FRANCK FIFE/AFP
Cavani assiste do banco a partida do PSG contra o Nantes pelo Campeonato Francês Imagem: FRANCK FIFE/AFP

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris (França)

05/12/2019 04h00

Edinson Cavani teve apenas cinco minutos em campo na vitória por 2 a 0 do Paris Saint-Germain contra o Nantes, na noite de quarta-feira (4), no Parque dos Príncipes, pelo Campeonato Francês. A presença fez a torcida francesa no estádio ficar eufórica, mas a participação terminou de forma vergonhosa, sem nenhum toque na bola e ainda uma incrível furada em tentativa de chute com o gol aberto. O uruguaio vive situação complicada no clube, tendo a saída no fim de contrato em junho de 2020 considerada certa internamente.

A mídia francesa avaliou a noite de Cavani como humilhante pela possibilidade de jogar apenas dois minutos de bola rolando —a partida teve três minutos de bola parada nos cinco minutos finais— e pela incrível furada em um contra-ataque de três contra dois no lance final do jogo. O termo foi levado, inclusive, ao treinador Thomas Tuchel após a partida.

"Não vejo como algo humilhante. Eu falei com ele, expliquei que é uma situação super complicada. Isso também me deixa triste, mas são escolhas que precisamos fazer. Tenho três jogadores extraordinários para uma posição (Mbappé, Icardi e Cavani), e isso é muito", destacou Tuchel.

O duelo com o Nantes foi a constatação de que Cavani está sem espaço no PSG. Tuchel optou por começar a partida sem centroavante, deixando também Icardi no banco. O argentino foi quem entrou no lugar de Mbappé aos 32 minutos do segundo tempo. Já Cavani só teve espaço no fim logo após Neymar definir a vitória por 2 a 0 em cobrança de pênalti.

"Isso que o Tuchel faz com o Cavani é injusto, ele merece mais minutos. O Cavani é um homem de respeito pelo PSG, jamais abre a boca para reclamar. Mas não há justificativa plausível para que fique tanto tempo sem jogar", destacou o jornalista francês Daniel Riolo, comentarista do canal de televisão RMC.

O único aspecto positivo no atual momento do uruguaio no PSG é a relação com o torcedor. Mesmo no gol marcado por Neymar, os gritos mais ouvidos no estádio eram por Cavani. A comemoração era pela presença do jogador na beira do campo à espera da substituição, que ocorreu justamente na vaga do camisa 10.

O calvário de Cavani, se explica por sucessivas lesões, alto salário e críticas de vestiário. Como pode assinar pré-contrato a partir de janeiro, o uruguaio já despertou o interesse do Napoli, o ex-clube. Segundo o Blog do Mauro Cesar, o Flamengo também monitora a situação e está disposto a conversar no início do próximo ano sobre uma transferência.

Na postura de Cavani há o silêncio e o desejo de que o clube francês faça uma oferta contratual. A saída antes do término do contrato é considerada remota, segundo pessoas que o cercam.

Pelo PSG, Cavani atua desde 2013. Ele é o maior artilheiro da história do clube, com 195 gols, em 287 jogos. O uruguaio tem 20 títulos pelo clube, sendo cinco do Campeonato Francês, cinco da Copa da Liga da França, quatro da Copa da França e seis da Supercopa da França.