PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Corinthians ainda espera por CBF e Globo para receber prêmio do Brasileirão

Cássio, do Corinthians, levanta a taça de campeão brasileiro; clube e jogadores ainda não receberam premiação - WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO
Cássio, do Corinthians, levanta a taça de campeão brasileiro; clube e jogadores ainda não receberam premiação
Imagem: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

19/12/2017 04h00

Mais de um mês depois de ter sido campeão, o Corinthians ainda não recebeu a premiação referente à conquista do Campeonato Brasileiro. O dinheiro será repassado pela Rede Globo, graças a um acerto entre CBF e emissora, mas não caiu nos cofres do clube. São esperados mais de R$ 18 milhões/bruto - o valor líquido, descontados impostos e encargos, é de R$ 16,5 milhões. Segundo membros da direção, o Corinthians chegou a solicitar à CBF que a premiação fosse adiantada assim que o título do Brasileirão foi confirmado, no dia 15 de novembro.

A confederação argumentou que a Globo só faria o repasse ao fim do torneio, no início de dezembro. Mesmo assim, porém, os valores ainda não caíram no caixa. De acordo com acerto entre direção de futebol, direção do clube e atletas, aproximadamente R$ 10 milhões dessa quantia será repassada a elenco e comissão técnica. O restante do valor será usado pelo Corinthians para as contas habituais. Os jogadores com mais partidas, como de costume, terão direito a uma quantia maior da bolada. (Por Dassler Marques)

Corinthians: Sobrinho de Vicente Matheus é demitido

Carlos Matheus, treinador da natação do Corinthians (de preto) - Agência Corinthians - Agência Corinthians
Imagem: Agência Corinthians

Funcionário do Corinthians há 13 anos e integrante da seleção brasileira na última edição dos Jogos Olímpicos, o supervisor de natação Carlos Matheus foi demitido pelo clube na semana passada. A decisão de encerrar o vínculo com Carlos, que passou por diversas funções dentro do departamento, revoltou oposicionistas, que viram razões políticas.

Carlos é sobrinho de Vicente Matheus, histórico presidente corintiano e cuja esposa, Marlene, tem apoio declarado a Roque Citadini nas eleições. Em nota à De Primeira, o Corinthians agradeceu Carlos por "anos de serviços muito bem prestados" e justificou a decisão "por conta de um projeto de reestruturação da modalidade, que terá um orçamento mais enxuto em 2018". (Por Dassler Marques)

Del Nero sofre para emplacar sucessor entre presidentes

Marco Polo Del Nero tem sofrido para conseguir emplacar o nome de Rogério Caboclo como seu sucessor na presidência da CBF. O CEO da entidade sofre grande resistência por parte dos presidentes das federações. Sabendo disso, Cabloco mudou sua postura recentemente e passou a ter mais cuidado nas relações com os cartolas. Foi ele, inclusive, o porta-voz do anúncio do "trem da alegria" que levará os chefes das federações para a Copa do Mundo. Sem Caboclo, há um consenso na CBF que o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, é um bom nome para o cargo. (Por Danilo Lavieri e Pedro Ivo Almeida)

SP: Indicação de conselheiros transgride estatuto

Atual diretor executivo de comunicação e marketing, Márcio Aith teve o seu nome indicado e aprovado para o Conselho de Administração na última semana. Júlio Conejero, que já integra o órgão, foi diretor adjunto há dois anos. Segundo o artigo 99, parágrafo segundo, do estatuto tricolor, alguém que tenha tido qualquer cargo permanente ou prestado serviço remunerado nos últimos três anos não pode ser indicado para ser conselheiro independente. É o caso de ambos os citados acima. A situação pode ser debatida na reunião do Conselho Deliberativo do clube, nesta terça. (Por José Eduardo Martins)

SP: Ex-diretor dá sua versão sobre mesada a ex-gerente

Entre os temas abordados durante a reunião do Conselho Deliberativo nesta terça-feira à noite estão as respostas do ex-diretor executivo de futebol, Vinícius Pinotti, sobre a sua relação com o ex-gerente de marketing do clube, Alan Cimerman. Como publicou a De Primeira, Pinotti deu, ao menos por seis meses, mesada de R$ 9.100,00 ao ex-dirigente, suspeito de envolvimento em esquema de corrupção em shows realizados no Morumbi. Conselheiros enviaram questões sobre o assunto ao ex-diretor e os esclarecimentos deveriam ter sido feitos na reunião do dia 31 de outubro. Pinotti, porém, não compareceu ao encontro e se prontificou a entregar suas respostas por escrito ao presidente do órgão, Marcelo Pupo. (Por José Eduardo Martins)