PUBLICIDADE
Topo

Paranaense - 2019

Coritiba pede ingressos para Atletiba e desacordo com Athletico vai ao TJD

Torcida do Coritiba na Arena da Baixada: primeiro Atletiba após "Torcida Única" rende disputa no TJD - Comunicação CFC
Torcida do Coritiba na Arena da Baixada: primeiro Atletiba após "Torcida Única" rende disputa no TJD Imagem: Comunicação CFC

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

28/01/2019 14h37

O Coritiba formalizou ao Athletico o pedido por 10% da carga de ingressos para o Atletiba 378, nesta quarta-feira (30) às 21h30 na Arena da Baixada, baseado no Artigo 38 do Regulamento do Campeonato Paranaense. O pedido conflita o interesse da diretoria do Furacão e do Ministério Público do Paraná com o projeto de "Torcida Única" nos jogos em Curitiba. A procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), já se manifestou favoravelmente ao pedido do Coxa.

Em ofício destinado ao presidente do Alviverde, Samir Namur, o vice-presidente atleticano Marcio Lara disponibilizou a carga - 4030 ingressos - mas exigiu o pagamento antecipado dos valores e não garantiu espaço reservado específico para os coxas-brancas. "O CAP (...) informa que disponibilizará fisicamente ao CFC mediante pagamento antecipado (...), todos devidamente numerados e com a indicação do local reservado a cada torcedor, espalhado por todos os setores", diz um trecho do ofício, obtido pelo UOL Esporte.

Ofício CAP - Reprodução - Reprodução
Trecho do ofício enviado pelo Athletico sobre ingressos
Imagem: Reprodução

Além disso, Lara oficiou que o Coritiba poderá devolver os ingressos eventualmente não comercializados "até vinte e quatro horas antes da partida", o que equivale às 21h30 desta terça-feira (29), e que "não será permitido o acesso ao estádio com vestimentas e adereços que façam referência, ainda que indireta, às cores e aos signos da equipe visitante, por medida de segurança", alegando ser uma medida do projeto de torcida única.

O Coxa então decidiu levar ao TJD a discussão. Em contato com a reportagem o presidente alviverde Samir Namur disse que vai ao tribunal "garantir os direitos e a segurança do nosso torcedor" e também questionar a necessidade e os prazos da compra consignada dos ingressos para a torcida coxa-branca.

O TJD-PR já havia se manifestado no início da competição pela garantia dos direitos dos torcedores visitantes nos jogos do Campeonato Paranaense. O órgão se baseia no Estatuto do Torcedor, que diz: "O acesso ao evento desportivo constitui expressão dos direitos fundamentais de liberdade, manifestação do pensamento, à cultura e ao desporto, na forma do artigo 5º, incisos IV, XV, e artigos 215, 217 e 220 da Constituição da República, e o que está em debate é o afastamento dessas garantias para a sustentação de um ajuste e a sua adequação ao ordenamento jurídico". Entretanto, o Estatuto não fala em local específico reservado a determinada torcida. O descumprimento pode acarretar em multa entre 100 a 100 mil reais.

"Nós fizemos um pedido para que houvesse a divisão de torcidas. A gente quer fazer valer a possibilidade de ter torcida visitante e ao mesmo tempo com espaço para ela. O Athletico encaminhou oficio dizendo o contrário, e entre hoje e amanhã a procuradoria vai manter a opinião de que os torcedores visitantes tem direito de irem ao estádio com a camisa do seu time e terem segurança para isso, como sempre teve antes dessa reunião com o MP", explicou o procurador Pedro Feitosa, "Até por ser o maior clássico do Paraná, que tenha um espaço reservado a eles, por que a gente sabe que são duas torcidas rivais. A gente quer preservar a segurança". Feitosa ainda destacou que a venda consignada proposta pelo Athletico está no regulamento.

"Torcida Única" já causou polêmica em 2018

Cru CAP - Reprodução - Reprodução
Cruzeirenses entraram na Arena sem camisa e acabaram se agrupando num mesmo local por conta própria
Imagem: Reprodução

A medida de não conceder espaço específico aos visitantes e não permitir entrada de adereços ou camisas de visitantes na Arena da Baixada já rendeu polêmica no Campeonato Brasileiro de 2018, com direito a reclamação da Polícia Civil do Paraná. Adotada a partir do jogo contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil, a medida resultou em reclamações dos visitantes, retaliação dos clubes quando o Athletico joga longe da Arena e também em brigas, como quando o Internacional jogou em Curitiba.

A CBF não se manifestou sobre a medida. Já na Copa Sul-Americana, vencida pelo Athletico, a Conmebol proibiu a medida e determinou local específico e separado para os visitantes que atuaram no estádio, casos de Peñarol, Caracas, Bahia, Fluminense e Junior Barranquilla - a medida ainda não estava em vigor no jogo contra o Newell's Old Boys. O Athletico disputará a Libertadores e a Recopa Sul-Americana neste ano.