PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Omissão de técnico do PSG em polêmica Neymar x Cavani incomoda brasileiros

Neymar discute com Cavani - CHRISTOPHE SIMON/AFP - CHRISTOPHE SIMON/AFP
Imagem: CHRISTOPHE SIMON/AFP

João Henrique Marques e Pedro Lopes

Do UOL, em Paris e São Paulo

20/09/2017 04h00

O clã brasileiro no PSG está totalmente ao lado de Neymar na briga com Cavani. A avaliação geral é de que o camisa 10 merece o posto de cobrador oficial de pênaltis. O assunto vinha sendo evitado entre o grupo, que estava à espera de uma decisão ou intervenção do treinador Unai Emery, mas a falta de posicionamento do comandante já incomoda os brasileiros.

O UOL Esporte apurou que o descontentamento com a omissão do treinador não é tão recente: começou no segundo dos quatro pênaltis cobrados por Cavani – na vitória por 3 a 0 contra o Saint-Étienne dia 25 de agosto.

Na época, a avaliação dos jogadores brasileiros foi a de que Neymar passou a ter reflexos de nervosismo em campo por conta de ter o pedido para cobrar o pênalti negado por Cavani ainda no primeiro tempo, em um momento no qual o camisa 10 busca afirmação no novo clube.

Neymar cumprimenta Unai Emery - Benoit Tessier/Reuters - Benoit Tessier/Reuters
Imagem: Benoit Tessier/Reuters

Segundo pessoas próximas a Neymar e a outros jogadores brasileiros do PSG, a frase de Unai Emery na semana passada ao dizer que “não vê problema em Cavani cobrar o primeiro pênalti do jogo, e Neymar o segundo" foi encarada como vaga e deu abertura para um cenário de guerra interna. Assim, na vitória de domingo por 2 a 0 contra o Lyon, cenas como a de Daniel Alves não deixando Cavani pegar a bola para cobrar uma falta e a de Neymar pedindo para cobrar um novo pênalti são colocadas na conta do treinador.

O discurso de Unai Emery foi considerado fraco entre os brasileiros – uma pessoa próxima a um dos principais jogadores do PSG diz que, na avaliação de líderes do elenco, uma simples intervenção teria evitado que a situação chegasse à imprensa e criasse o mal-estar instaurado em Paris. A declaração após o jogo contra o Lyon foi melhor recebida, mas não solucionou o problema. "Eu disse para eles combinarem entre eles. Acredito que os dois são capazes de cobrar e vamos fazer com que os dois sejam cobradores de pênaltis. Se eles não chegarem em um acordo entre eles, vou intervir", disse.

Reunião marcada para apaziguar ânimos 

No PSG, os jogadores já foram avisados de uma reunião com Unai Emery e dirigentes do clube nesta quarta-feira. A pauta é uma decisão de ordem de cobradores de pênalti e o fim da briga entre Neymar e Cavani. O clima entre os dois no clube é considerado pesado, mas quem convive com os astros descarta que qualquer um dos dois faça movimentos para deixar o clube nesse momento.

A expectativa entre os brasileiros é de que Neymar em um primeiro momento seja colocado em um rodízio com Cavani nas cobranças de pênalti. Assim, o posto de cobrador oficial seria oficializado nos duelos decisivos do time no segundo semestre.

O discurso de defesa para tal é de que Neymar é líder técnico do time e não tem a necessidade de esperar por uma transição com Cavani em cobrança de pênaltis. O posicionamento ganhou força nos últimos dias com a adesão de nomes fortes do time como o italiano Marco Verratti e o atacante francês xodó da diretoria Kylian Mbappé.

Cavani está mais isolado na briga pelos pênaltis. No entanto, a decisão final dos brasileiros foi a de pedir paciência a Neymar para evitar indisposição com o uruguaio até que a posição do treinador Unai Emery seja tomada.
 

Esporte