PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2019

Chefe defende árbitra de Fla x Bangu: ninguém chega à Fifa sem competência

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

23/01/2019 04h00

O erro decisivo na partida entre Flamengo e Bangu pelo Campeonato Carioca não afeta a reputação da árbitra Rejane Caetano da Silva. Quem garante é o chefe da moça, Jorge Rabello, presidente da Coaf-RJ (Comissão de Arbitragem do Rio). 

Rejane, 32 anos, é formada no Rio de Janeiro, em 2014 chegou à seleção nacional dos árbitros de futebol e três anos depois se tornou árbitra Fifa, o que dá a ela um status maior no meio e a credencia a apitar competições internacionais. Ela apitou o Sul-Americano sub-20 feminino em janeiro de 2017, no Equador.

Em entrevista ao UOL Esporte, Rabello disse que a juíza tem total confiança do órgão. "Dispõe da nossa confiança. Ninguém chega à Fifa sem competência. Rejane é uma árbitra que merece todo nosso respeito pela competência", ressaltou. 

No lance polêmico, a árbitra adicional se posiciona na linha para acompanhar a jogada, mas deixa a posição para não ser atropelada por jogadores e não vê que a bola saiu pela linha de fundo. O lance segue e o Flamengo marca. A partida terminou 2 a 1

Rejane - Ursula Nery/Ferj/Divugação - Ursula Nery/Ferj/Divugação
A árbitra Rejane Caetano da Silva
Imagem: Ursula Nery/Ferj/Divugação
A Coaf-RJ decidiu afastar Rejane Caetano da Silva. Ela passará por treinamento específico antes de voltar aos gramados com análises de vídeos e outros trabalhos em campo. Rabello explica que a conversa com a profissional foi "normal" e não gerou insegurança a outras árbitras e árbitros. 

"Foi uma conversa normal. A Coaf-RJ e sua Comissão de ensino entederam que, no lance, houve erros técnicos e serão corrigidos", disse.  

São seis árbitras capacitadas a participar de jogos no Campeonato Carioca em 2019, duas centrais e quatro assistentes. O treinamento é semelhante ao dos homens, segundo o presidente. 

"O trabalho é exatamente igual aos homens, tanto na exigência técnica, quanto na física. Não tem diferença, só a Simone Xavier, ex-árbitra do quadro da Fifa e agora instrutora formada pela CBF no curso Futuro III da FIFA, que fica mais próximas delas", analisou. Simone Xavier é instrutora da Comissão de Arbitragem e atua como técnica de arbitragem nos jogos.