PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2019

Deivid pede a palavra, assume erro e avisa: 'Não sou frouxo, covarde e otário'

Deivid não acredita no gol incrível perdido no clássico da última quarta, contra o Vasco - André Ricardo/UOL
Deivid não acredita no gol incrível perdido no clássico da última quarta, contra o Vasco Imagem: André Ricardo/UOL

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/02/2012 18h10

Protagonista do lance mais incrível da partida da última quarta-feira, contra o Vasco, quando o Flamengo acabou sendo derrotado por 2 a 1, o atacante Deivid chamou a atenção novamente nesta quinta-feira. Ao invés de se esconder da polêmica, o jogador pediu a palavra, comunicou a assessoria de imprensa do clube que gostaria de ser o entrevistado do dia e assumiu toda a culpa pela eliminação do time na semifinal da Taça Guanabara.

"Não sou jogador frouxo, covarde e otário. Por tudo que tenho lido, a repercussão inteira do caso, eu não teria motivos para me esconder. Essa é a minha profissão e eu tenho que assumir as coisas que faço. Se tivesse feito o gol, iríamos para o intervalo com 2 a 1 e a situação seria outra, mas é uma coisa que acontece", disse o atacante, acrescentando.

ASSISTA AO LANCE INCRÍVEL NO CLÁSSICO

"Vi que colocaram o Ronaldinho como o pior do jogo também. A culpa não foi dele, não foi do Joel, não foi de ninguém. Só tem um culpado, eu. Gostaria de estar aqui falando da boa atuação, do gol que fiz, do passe para o gol do Love. Poderia estar falando como herói da classificação, mas falo como vilão. E isso nunca vai me fazer pedir para sair do Flamengo. Tenho contrato até dezembro e vou cumprir", frisou Deivid.

Noite sem dormir

Apesar da tranquilidade para comentar o assunto e se posicionar diante dos microfones e inúmeros questionamentos, o atacante rubro-negro admitiu que não foi fácil superar o lance incrível após a partida. O jogador, que passou a madrugada em claro, revelou que contou com o apoio de familiares e ex-companheiros para conseguir dormir.

"Foi complicado demais. Não consegui dormir e só fui deitar quase Às 8h da manhã. O que me ajudou foram as inúmeras ligações de ex-companheiros, presidentes de outros clubes, dirigentes e familiares. Eles ressaltaram que eu tenho uma carreira muito bonita e que isso não pode ser apagado. Só fico mais triste pelas gracinhas que minha família escuta e pelo torcedor que paga caro e não merece isso", salientou.

Por fim, sem escapar de nenhuma pergunta, Deivid tentou explicar o que aconteceu na hora do lance e disse que até o filho de cinco anos faria o gol. "Fui tão convicto que bati para comemorar. A desatenção naquela fração de segundo acabou gerando o gol perdido. Até meu filho, de cinco anos, faria. Pensei nele quando aconteceu. Ele já entende. Vou tentar recuperar e dar a volta por cima", encerrou o atacante do Flamengo.