PUBLICIDADE
Topo

Espanhol - 2019

Time mais velho da Espanha vive penúria e corre o risco de acabar

Mais de 20 mil pessoas foram ao último jogo do Recreativo Huelva - Reprodução/Twitter
Mais de 20 mil pessoas foram ao último jogo do Recreativo Huelva Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

26/03/2016 06h00

Os 126 anos de história do Recreativo Huelva estão com os dias contados. Assim, pelo menos, é como próprios funcionários encaram a situação do clube. Atrasos em salários que chegam a nove meses, um desempenho esportivo desanimador na terceira divisão e a falta de perspectiva fazem com que o time mais antigo da Espanha flerte com o fim. A cada jogo, a possibilidade de ser o último.

Os funcionários do Recreativo estão sem receber salários há nove meses. Também existem dívidas com os jogadores, estimadas em mais de seis meses. As contas que envolvem a logística do clube e do time preocupam. A venda frustrada para um grupo externo desanimou ainda mais os funcionários, que usaram o próprio site do Recreativo para protestar.

Eles criticam a “terrível indolência mostrada pelas pessoas que devem dar uma solução ao problema” e citam “o abandono e a total incerteza sobre a sobrevivência do clube”. Tudo isso fez com que os empregados do Recreativo convocassem a torcida para o que poderia ser o último jogo do time, no último sábado.

Com ingressos a um euro, o estádio Nuevo Colombino, com capacidade para 21 mil pessoas, estava praticamente lotado. O tom de despedida, segundo relatos do diário Marca, era evidente. Para aumentar a dose de sofrimento, o Recreativo bateu o Granada B por 1 a 0 com gol aos 44 minutos do segundo tempo.

O resultado deixou o time duas posições acima da zona de rebaixamento. Situação desesperadora para uma equipe que foi vice-campeã da Copa do Rei em 2003 e já terminou em oitavo lugar a primeira divisão do Espanhol na temporada 2006/07. Dez anos depois, a quarta divisão é uma forte possibilidade, caso o clube não acabe.

Fundado em 1889, o Recreativo Huelva é o clube mais antigo da Espanha considerados todos que nunca interromperam suas atividades. Suas dívidas atuais ultrapassam os 20 milhões de euros (mais de R$ 80 milhões). A torcida, no entanto, ainda está disposta a fazer sua parte. Assim como jogadores e funcionários que estão trabalhando de graça. Mas neste domingo, em duelo fora de casa, ainda resta o temor de que será a última partida do Recreativo Huelva.