PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Andrés detona juiz, pede saída de Cel. Marinho e fala em Brasileiro sem CBF

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

10/11/2018 19h47

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, detonou a arbitragem do clássico contra o São Paulo deste sábado (10), feita por Rodolpho Toski Marques. Em entrevista na zona mista após o 1 a 1 em Itaquera, o dirigente pediu a saída do diretor de arbitragem, Coronel Marinho, e falou em fazer um Brasileirão organizado por clubes, sem a CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Leia mais:
Juca Kfouri: "Majestoso da Vergonha"
PVC: "Erros indiscutíveis do clássico"
Áudio vaza discussão de equipe do Premiere sobre gol anulado do Corinthians

Ele ainda destacou que não pretende ir à sede da entidade no Rio de Janeiro para formalizar as suas reclamações e justificou o seu voto contra a implantação do VAR (assistente de vídeo, da sigla em inglês) no início do ano.

Por fim, Andrés afirmou que os atletas do Corinthians pensaram em não voltar para o segundo tempo e disse que os árbitros pediram desculpas para os atletas durante todo o segundo tempo.

Confira as declarações mais importantes de Andrés Sanchez:

Jogadores pensaram em não voltar e críticas ao Coronel

É a primeira vez que eu desço no intervalo para o vestiário porque os jogadores estavam tão revoltados que não queriam voltar. O juiz ficou pedindo desculpa durante o jogo. É um absurdo. A gente não faz um bom campeonato, os jogadores sabem, a diretoria sabe, a comissão sabe... Mas está demais. Não é porque se vota contra um sistema (VAR) que precisa ser prejudicado desta maneira. Já fomos beneficiados e prejudicados, mas o juiz é um incompetente e responsável. O Coronel tem que dar explicação. Tem um monte de ex-árbitro apitando aí, porque o Coronel continua? Vamos colocar um ex-árbitro, tem tantos por aí. Ele já está mais tempo no comando da arbitragem, somando a FPF e a CBF, do que tem de Coronel?.

Gol de Danilo não validado

Há erros de interpretação. Eu concordo. Foi pênalti ou não. Agora, a bola entrar 50 centímetros para dentro do gol. Todo mundo viu. O árbitro está na linha do gol e durante o jogo ele pediu perdão para o Cássio. A gente que paga ainda. Ele está lá para quê? Não estou chorando. Jogadores sabem que a gente está fazendo um mau campeonato, mas está demais.

Brasileirão sem CBF

O que posso fazer é vir aqui e falar com vocês. Os clubes deviam se reunir e tirar o Brasileirão da CBF. Aí eles iam ver o que era bom. Eu vou lá na CBF? Para quê? Para eles pedirem desculpa. Ele (Coronel) tem que dar coletiva. Este ano, eles erram contra todos os clubes, mas a própria CBF assumiu que a gente é o mais prejudicado. A minha reclamação, infelizmente, é via imprensa. Mandar cartinha, falar com Rogério Cabloco, Feldman ou com o Coronel Marinho, que não atende ninguém... Isso não adianta. Precisa mudar o diretor de árbitro.

Corinthians votou contra o VAR

Um dos motivos foi o preço. O Corinthians é a favor do VAR. Mas lá era o preço, que era 100% mais caro que Portugal e quem explicou nem sabia os métodos. Foi por esse motivo. Não é só falar que quer VAR. O futebol brasileiro pode pagar o VAR, mas eles nem têm ideia do que fazem. Lance interpretativo sempre vai dar problema.

O que espera ver no relatório da partida?

Risada... Ele vai escrever o quê? Que foi gol e não deu? Que foi pênalti e não deu? Que falou perdão para o jogador? Que o bandeirinha falou que não pôde fazer nada? Todo mundo viu que o Romero sofreu pênalti, do mesmo jeito que ele tinha que expulsar o Thiaguinho, mas ai ele compensou. O diretor deles (Ricardo Rocha) ficou no vestiário dos árbitros antes do jogo, mas isso é coisa pouca.

Esporte