PUBLICIDADE
Topo

Esporte

PM recomenda, e MP também pedirá Fla x Vasco fora da Ilha

MP-RJ pedirá que clássico entre Flamengo e Vasco seja realizado no Maracanã - Armando Paiva/AGIF
MP-RJ pedirá que clássico entre Flamengo e Vasco seja realizado no Maracanã Imagem: Armando Paiva/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/10/2017 19h08

Após a Polícia Militar e os vereadores do Rio de Janeiro, conforme revelou o UOL Esportes, chegou a vez do Ministério Público da cidade sugerir que o clássico entre Flamengo e Vasco seja realizado no Maracanã. Dono do mando de campo, o Rubro-negro marcou o duelo para a Ilha do Urubu, na Ilha do Governador. A partida será disputada no esquema 90/10 com apenas 10% de torcedores do Cruzmaltino.

Preocupado com a segurança do evento, a Polícia Militar deixou clara a preferência pela realização do jogo no Maracanã, estádio que conta com melhor estrutura para evitar maiores problemas. O Rubro-negro, porém, segue firme na ideia de realizar o jogo em sua casa, na Ilha do Governador.

Baseado no documento enviado pela polícia, o procurador do Ministério Público do Rio de Janeiro Rodrigo Terra avisou que o órgão pedirá que o clássico tenha o local de realização alterado. A informação é do jornal O Globo e foi confirmada pelo UOL Esporte.

“Estamos fazendo essa solicitação por segurança. O MP se baseia no documento da PM, na argumentação deles. A intenção sempre é garantir a segurança do torcedor em um estádio maior”, disse Rodrigo Terra ao UOL Esporte.

Após receber o ofício do MP, CBF conversará com os clubes para bater o martelo sobre o local. A tendência maior é pela confirmação da troca do estádio.

Bárbarie em último encontro entre os rivais

Apesar de ter todos os laudos necessários para receber os clássicos na Ilha do Governador e com 5% da carga de ingressos aos visitantes, a bárbarie ocorrida em São Januário pesa na avaliação do poder público. 

Na ocasião, uma guerra generalizada tomou conta do estádio ao apito final. Bombas foram atiradas no gramado e o time do Flamengo teve dificuldade para descer aos vestiários. Houve confrontos entre policiais e integrantes de organizadas do Vasco. David Rocha Lopes, de 27 anos, morreu baleado em confusão com PMs fora do estádio. Outros dois torcedores também foram atingidos por disparos de armas de fogo.

No meio dos episódios lamentáveis, o cabo do Exército Igor Marcelino Coelho foi indiciado pela Polícia Civil por lesão corporal, desacato e por promover tumulto em eventos esportivos, crime previsto no Estatuto do Torcedor. Nas imagens de TV, ele apareceu agredindo com socos duas policiais militares. Por conta dos problemas, São Januário foi interditado pelo Ministério Público e o clube punido com a perda de seis mandos de campo no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Esporte