Topo

Esporte


Ex-palmeirense marca o 1º gol do Allianz Parque e complica o Palmeiras

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

19/11/2014 23h55

Foi o pior cenário possível para a quarta-feira (19) de estreia. O Palmeiras jogou mal, mostrou criatividade perto do zero e foi derrotado pelo Sport por 2 a 0 em plena abertura do Allianz Parque, colocando a equipe em uma situação perigosa na luta contra a queda. O primeiro gol do estádio foi marcado por Ananias, que atuou no clube paulista em 2013, mas teve poucas oportunidades. Foi a terceira derrota seguida palmeirense.

Sem Valdivia, que assistiu ao jogo dos camarotes, a equipe mostrou que não tem poder de criação, especialmente ao depender de boas jogadas de Felipe Menezes, que saiu vaiado, e Diogo, que quase não acertou o que tentou. Henrique, isolado, poderia nem ter entrado em campo. Wesley foi xingado em coro por todos os presentes. De positivo, fica a renda de quase R$ 5 mihões.

O resultado frustrou os quase 36 mil presentes que pagaram caro e fizeram barulho durante toda a partida e ainda complicou o time na luta contra o Z-4, com a terceira derrota consecutiva. Agora com 39 pontos, a equipe mantém a diferença de três para a degola, mas pode ficar a um ponto caso a Chapecoense vença o Fluminense em pleno Maracanã. O Sport, por sua vez, se livra definitivamente da luta contra a queda aos chegar nos 47 pontos.

Os torcedores apoiaram o time praticamente o jogo inteiro, mas nos últimos minutos e, após o jogo, centenas deles xingaram boa parte do elenco. Muitos gritaram "vergonha, time sem vergonha". Outros xingaram Paulo Nobre, presidente palmeirense, e gritaram em coro: "Volta para o rali", fazendo referência ao hobby do cartola.

Na próxima rodada, domingo, o Palmeiras enfrenta o Coritiba às 19h30, no Couto Pereira, em Curitiba. No mesmo dia, mas às 17h, o Sport recebe o Fluminense na Arena Pernambuco.

Fases do jogo
O Palmeiras dominou boa parte da posse de bola do primeiro tempo, mas não sabia o que fazer com ela. O time deixou claro que não tem poder de criatividade algum quando não conta com Valdivia. Seus jogadores trocavam passes na intermediária, mas não conseguiam penetrar a marcação pernambucana. Magrão não fez nenhuma defesa.

Na etapa final, o jogo arrastado continuou. O Palmeiras se limitava a tentar jogar bolas na área adversária, torcendo para algum desvio de seu artilheiro, Henrique. Foi tudo em vão. O Sport, por sua vez, se limitava a jogar nos contra-ataques e chegou até a assustar em um deles. Ananias, aos 32 minutos, converteu a chance que teve após cruzamento vindo da esquerda e entrou para a história do estádio.

Em busca do gol de empate, o Palmeiras pressionou o Sport, de maneira desorganizada, e deixou o campo livre para o contra-ataque pernambucano. Em uma das oportunidades, Patric fez uma boa jogada e mandou no canto do goleiro Fernando Prass, definindo a partida.

Toque dos técnicos: Dorival Júnior não mudou absolutamente nada do time que jogou mal e perdeu para o São Paulo por 2 a 0 no último domingo. E o resultado foi o mesmo. o time não mostrou criatividade, não soube se mexer quando dominava a bola e irritou a sua torcida. Do outro lado, já sem pretensões, o Sport, de Eduardo Baptista, segurou a partida inteira e só atacou nos contra-ataques.

O melhor: A torcida. Com a ajuda da acústica do Allianz Parque, a torcida empurrou, apoiou e não parou de gritar por um minuto. Nem mesmo nos momentos mais difíceis, quando o Palmeiras mostrava claramente que não tinha criatividade.

O pior: Felipe Menezes. O meia saiu vaiado e não foi à toa. Com a dura missão de substituir Valdivia, ele não conseguiu fazer absolutamente nenhuma jogada que levasse perigo ao gol de Magrão.

Para lembrar

Fenômeno presente. Gabriel Fernando, fenômeno da base, esteve em um camarote do Allianz para assistir ao jogo. Ele teve a companhia de Bruno Dybal, Thiago Martins, Rodolfo e Wellington. Ao lado da família, Cristaldo, suspenso, também foi ao local da partida. Valdivia ficou em seu camarote pessoal.

Fez história. Pablo Mouche entrou no segundo tempo e ficará para a história do Palmeiras. Ele é o único jogador que esteve na partida de despedida do antigo Palestra Itália (daquela vez, contra no Boca Juniors) e também atuou no primeiro do Allianz Parque.

Fim da piada. Agora, os palmeirenses não poderão mais tirar sarro do arquirrival, o Corinthians. O time do Itaquerão havia estreado seu estádio perdendo por 1 a 0, mas para o Figueirense. 

Palmeiras 0 x 2 Sport

Data: 19 de novembro de 2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo
Público: 35.939 pagantes
Renda: R$ 4.915.885,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva - PA (ASP-FIFA)
Assistentes: Marcio Eustaquio S Santiago - MG (FIFA) e Guilherme Dias Camilo - MG (ASP-FIFA)
Cartões: Marcelo Oliveira (PAL): Joelinton (SPO)
Gols: Ananias, aos 32 min, e Patric, aos 45 min do 2º T

PALMEIRAS: Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho (Mouche); Marcelo Oliveira, Victor Luís, Wesley (Mazinho) e Felipe Menezes (Allione); Diogo e Henrique
Técnico: Dorival Júnior

SPORT: Magrão; Patric, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely e Danilo (Wendel); Diego Souza, Joelinton (Ananias) e Mike (Felipe Azevedo)
Técnico: Eduardo Baptista

Esporte