Topo

Esporte


Celso Roth dispara, diz que São Paulo teve soberba e saiu de "cabeça baixa"

Roth disparou contra o São Paulo, que jogou com soberba, que é habitual na equipe - Edu Andrade/Agência Freelancer
Roth disparou contra o São Paulo, que jogou com soberba, que é habitual na equipe Imagem: Edu Andrade/Agência Freelancer

Marinho Saldanha

Em Porto Alegre

13/09/2011 17h57

O técnico Celso Roth segue disparando contra o São Paulo. Depois de Adilson Batista ser alvo de alfinetadas após o duelo vencido pelo Grêmio por 1 a 0, desta vez a postura do time adversário foi questionada. Segundo o treinador, a soberba são-paulina esteve presente no duelo da 23ª rodada. Recentemente, o comandante foi desprezado pelo clube paulista, e parece estar revidando publicamente.

"O São Paulo veio com a soberba do São Paulo. É natural deles. Eles são assim. E perderam. Agora o Vasco vai ter outra postura, outro tipo de atenção. Conseguimos três resultados positivos. O Grêmio quando está desequilibrado já exige respeito, imagina estando equilibrado, muito mais respeito ainda", disparou o comandante.

Como publicou o Blog do Perrone, Celso Roth foi recentemente desprezado pelo time tricolor de São Paulo. Quando foi sondado, Adilson Batista acabou contratado. Após a vitória, o técnico oponente foi alvo de alfinetadas do gremista.

"A boa campanha do São Paulo é fruto do trabalho do técnico anterior, temos que lembrar disso. É um time que está ganhando e muitas vezes não se entende porque. Contra o Figueirense, contra o Atlético-MG, tem sido assim. Temos que ver a razão para a vitória e para a derrota", disse após a vitória da 23ª rodada.

O tom de cobrança ao São Paulo seguiu até o fim da entrevista coletiva desta terça-feira do treinador do Grêmio. "Enfrentamos alguém que poderia ser líder e colocamos eles em terceiro lugar. Depois sai daqui que nem o São Paulo.  Daí sai com a cara baixa, todo desanimado, achou que viria aqui e iria ganhar o jogo", exclamou gesticulando e simulando um rosto triste.

"Eles vinham de atuações que não representavam a situação que tinham. A pontuação se deve muito ao Carpegiani. Quem viu os dois últimos jogos do São Paulo. O Figueirense merecia ter ganho. Está certo que tinha desfalques. E o Atlético-MG foi uma jogada individual. O São Paulo não vem enchendo os olhos. Ou eu estou dizendo algo estranho? Não tenho nada contra o São Paulo ou contra o Adilson, quem não citei em nenhum momento. Só digo o que vejo em campo", minimizou Roth.

A manifestação de Roth foi nada habitual. Normalmente ele é comedido ao citar oponentes, mas o São Paulo foi claramente difamado. Talvez fruto do desprezo do clube, mesmo negado pelo próprio. "Não tenho nada contra a instituição São Paulo. Pelo contrário. É um grande clube de futebol", finalizou.

O Grêmio volta a campo neste sábado, às 18h (horário de Brasília), em São Januário, para enfrentar o Vasco. Fábio Rochemback volta ao time. Nesta terça-feira, dois turnos de treinamentos físicos pautaram a atividade.

 

Mais Esporte